Você está aqui: Página Inicial / Saúde e Ciência / 2009 / 08 / Estudo faz alerta sobre medicamento antigripe para crianças

Estudo faz alerta sobre medicamento antigripe para crianças

Pesquisadores britânicos recomendam atenção, pois os efeitos colaterais podem superar os benefícios
por Ben Hirschler publicado , última modificação 10/08/2009 11h07 © 2009 Thomson Reuters. All rights reserved
Pesquisadores britânicos recomendam atenção, pois os efeitos colaterais podem superar os benefícios

Londres - As crianças não devem consumir rotineiramente medicamentos contra a gripe, como o Tamiflu, por não haver provas de que isso evita complicações e porque os efeitos colaterais podem superar os benefícios, disseram pesquisadores britânicos nesta segunda-feira (10).

"Embora a morbidade e a mortalidade na atual pandemia continuem baixas, uma estratégia mais conservadora pode ser considerada prudente, diante dos dados limitados, dos efeitos colaterais como os vômitos e do potencial para o desenvolvimento de cepas resistentes da 'influenza'", afirmaram eles.

Governos de todo o mundo criaram estoques dos medicamentos Tamiflu, da Roche, e Relenza, da GlaxoSmithKline, para combater a atual pandemia do vírus H1N1, dito "da gripe suína".

Na Grã-Bretanha, centenas de milhares de doses do Tamiflu foram entregues a pessoas doentes, sendo metade delas crianças.

Mas Matthew Thompson, da Universidad de Oxford, e colegas seus escreveram na revista British Medical Journal que, embora os antivirais tenham abreviado em cerca de um dia a duração da gripe nas crianças, eles não reduziram acessos de asma ou a probabilidade de as crianças precisarem de antibióticos.

O Tamiflu também foi associado a uma maior incidência de vômitos, o que pode ser sério em crianças.

A análise se baseou na revisão sistemática de sete estudos clínicos anteriores a respeito do uso do Tamiflu e do Relenza contra surtos de gripe sazonal, em crianças de 1 a 12 anos.

Thompson disse a jornalistas que não há por que achar que as conclusões não se aplicariam à atual pandemia da gripe, que é relativamente branda.

Fonte: Reuters 

registrado em: ,