Você está aqui: Página Inicial / Saúde e Ciência / 2009 / 07 / Bancos de sangue sofrem no inverno com baixo número de doações

Bancos de sangue sofrem no inverno com baixo número de doações

Frio e chuva reduzem doadores e hemocentros trabalham com número insuficiente de bolsas de sangue. Saiba também os requisitos para doação
por Suzana Vier publicado , última modificação 15/07/2009 16h10
Frio e chuva reduzem doadores e hemocentros trabalham com número insuficiente de bolsas de sangue. Saiba também os requisitos para doação

Hemocentros de todo o país estão em campanha para aumentar número de doadores e regularizar estoques de sangue. (Foto: Agência Brasil/Elza Fiúza)

Os hemocentros brasileiros estão sofrendo no inverno e principalmente no período das férias de julho com a redução do número de doadores de sangue.

Nas regiões sul e sudeste, o frio intenso fez despencar o número de doadores e está exigindo dos hemocentros, como o de São Paulo, buscar doadores por carta, e-mail, SMS e telefone.

Sem problemas com o frio, mas sofrendo muito com as chuvas, os hemocentros do Nordeste também enfrentam dificuldade em manter os níveis de sangue e hemoderivados.

Hemocentro de São Paulo está em alerta

O clima frio, as férias escolares e o grande número de pessoas com gripe são os principais fatores que levaram os níveis de sangue da Fundação Pró-Sangue Hemocentro de São Paulo, o maior da América Latina, a trabalhar com menos de 50% da capacidade.

Conforme informou à Rede Brasil Atual, André Luís Albiero, Chefe da Agência Transfusional do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, uma mistura de três fatores levam ao problema atual de falta de doadores de sangue “com as crianças em férias escolares, muitos pais estão viajando com os filhos, o inverno restringe a mobilidade das pessoas e isso atinge os doadores voluntários e, além disso, muitas pessoas estão com gripe ou problemas respiratórios decorrentes do tempo mais frio e nesse caso nem podem doar sangue”.

Diariamente, o Hemocentro de São Paulo trabalha com um estoque de 1500 a 2000 bolsas para atender 130 hospitais da Região Metropolitana de São Paulo, mas atualmente tem apenas 500 bolsas no estoque/dia, afirma André.

“Cirurgias agendadas podem ser suspensas por falta de sangue se as doações não voltarem ao normal. No momento estamos priorizando o pronto-socorro, pessoas vítimas de acidentes, com ferimentos por armas de fogo e em tratamento de neoplasias, câncer, leucemia e transplantes, ou seja, casos que não podem ficar sem assistência”, cita o médico.

No Nordeste chuvas espantam doadores

Nágela Lima, Coordenadora de Captação de Doadores do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce), explica que em todo o Brasil, nos meses de férias, já é comum a redução no número de doações, “mas as chuvas deste ano estão durando mais do que o normal e a falta de doadores levou o estoque de sangue a uma queda de 30% nos níveis satisfatórios. Estamos há três meses com problemas.”

De acordo com Lima, a chuva atrapalhou inclusive a captação de doadores no interior do Ceará: “com estradas sem acesso ou esburacadas e pontes que caíram não pudemos fazer o trabalho de coleta de sangue no interior do Estado”.

O Hemoce iniciou uma campanha de sensibilização da população no início do mês de julho e espera nos próximos dias regularizar o estoque, porque a partir do dia 23 de julho começa o carnaval fora de época de Fortaleza, o Fortal.

“Contamos com a solidariedade das pessoas. Com quatro dias de Fortal já é certo que vamos atender diversos casos que exigirão hemocomponentes”, destaca Lima.

Ideal: 5% da população

Para André Albiero, a situação ideal para manter os bancos de sangue com estoque suficiente é que 5% da população seja doadora de sangue.

“Em países como Japão e Itália, onde a população é constantemente vítima de terremotos ou sofre com guerras, os níveis de doação de sangue são maiores. Podemos dizer que há mais consciência da necessidade de doar sangue. As pessoas chegam até mesmo a estabelecer uma rotina, a ter datas fixas de doação ao longo do ano”.

No Brasil, explica o médico, a porcentagem de doadores fica abaixo de 3% da população.

“Não temos tradição de atos de voluntariado, até mesmo porque não sofremos com grandes guerras ou terremotos. Precisamos criar uma cultura de doação de sangue, lembrando que essa é uma ação de boa vontade e voluntária”, encerra o especialista. 

Para doar sangue

De acordo com a Fundação Pró-Sangue Hemocentro de São Paulo, são requisitos básicos para a doação de sangue:

- Estar em boas condições de saúde.
- Ter entre 18 e 65 anos.
- Pesar no mínimo 50 kg.
- Estar descansado e alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação).
- Apresentar documento original com foto emitido por órgão oficial (Carteira de identidade, Cartão de Identidade de Profissional Liberal, Carteira de Trabalho, Previdência Social ou Passaporte).

São impedimentos temporários:

- Gripe: aguardar 7 dias.
- Gravidez.
- 90 dias após parto normal e 180 dias após cesariana.
- Amamentação (se o parto ocorreu há menos de 12 meses).
- Ingestão de bebida alcoólica nas 4 horas que antecedem a doação.
- Tatuagem nos últimos 12 meses.
- Situações nas quais há maior risco de adquirir doenças sexualmente transmissíveis como não usar preservativo com parceiros ocasionais ou desconhecidos: aguardar 12 meses.

Acre, Amapá, Amazonas, Rondônia, Roraima, Maranhão, Mato Grosso, Pará e Tocantins são estados onde a incidência de transmissão de malária é maior. Quem esteve nesses estados deve aguardar 6 meses. Quem morou, aguardar 3 anos.

São impedimentos definitivos:

- Hepatite após os 10 anos de idade.
- Evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças transmissíveis pelo sangue: Hepatites B e C, AIDS (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II e Doença de Chagas.
- Uso de drogas injetáveis ilícitas.
- Malária.

É necessário respeitar os intervalos para doação:

• Homens 60 dias: até 4 doações por ano.
• Mulheres 90 dias: até 3 doações por ano.

Mais informações sobre o Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce), no site: www.hemoce.ce.gov.br/

Mais
informações sobre a Fundação Pró-sangue Hemocentro de São Paulo, no site: www.prosangue.sp.gov.br/