Pandemia galopante

São Paulo: pior projeção de aumento de internações por covid-19 para um mês é atingida em duas semanas

Governo Doria tinha estimado que, até 16 de junho, pior cenário de internações teria 24 mil pessoas, mas hoje já são 23.974 pessoas internadas com covid-19

Alex Ribeiro/Fotos Públicas
Resultado dos testes com medicamento para pacientes internados com covid-19 é uma boa notícia

São Paulo – Em apenas duas semanas, o número de internações de pacientes com covid-19 em São Paulo alcançou a pior projeção elaborada pelo Centro de Contingência do Coronavírus para um cenário de quatro semanas. E isso sem o aumento nas flexibilizações proposto pelo governo de João Doria (PSDB). No dia 19 de maio, o coordenador-executivo do comitê, João Gabbardo, disse que, mesmo com um aumento nas flexibilizações, São Paulo não passaria de 24 mil pessoas internadas até dia 16 de junho. E depois começaria a cair. Hoje (2), exatamente duas semanas depois, o número de pacientes com covid-19 internados é de 23.974. Mas os dados dessa quarta-feira ainda não foram contabilizados.

Naquele momento, o governo Doria estava defendendo uma maior flexibilização da quarentena em São Paulo. Hoje todo o estado está na fase de transição, que embora fique entre as fases vermelha e laranja, é tão branda quanto a fase amarela do Plano São Paulo. Mas, pressionado por empresários que dizem não aceitar mais medidas de restrição para lidar com a pandemia, Doria quer criar uma nova fase verde, com 60% de ocupação dos estabelecimentos – mas sem qualquer punição a quem descumprir esse limite – e funcionamento até as 22h. Igual a fase verde já existente, mas com a pandemia totalmente fora de controle e hospitais lotados.

Gabbardo projetou que, mesmo com uma nova fase verde, São Paulo poderia chegar a 13 mil pessoas internadas em enfermarias com covid-19. E chegaria a, no máximo, 11 mil pessoas internadas em unidades de terapia intensiva (UTI). “A gente tem uma previsão de um pequeno aumento que não vai chegar nem próximo do que tivemos na fase mais dura”, disse Gabbardo, comparando o momento com o pico atingido em abril, quando havia mais de 31 mil pessoas internadas com covid-19. No entanto, a projeção dele está sendo superada bem antes do esperado. Hoje há 10.925 pessoas em UTI e 13.049 em enfermarias, com covid-19.


Governo Doria promete vacinar toda a população de São Paulo até o final de outubro


Comparando os dados de hoje com o dia 19 de maio, quando as projeções foram feitas, os dados mostram um aumento de 9,75% no número total de pacientes internados com covid-19: de 21.844 para 23.974. Considerando apenas os pacientes em enfermaria, o aumento é de 11,68%: de 11.685 para 13.049. Nas UTI o aumento ficou em 7,54%: de 10.159 para 10.925.

Além disso, a média diária de novas internações de pacientes com covid-19 cresceu 15,8% em duas semanas. Na semana do dia 19 de maio, a média era de 2.303 internações por dia. Na última semana, a média diária passou para 2.666. No entanto, esses dados já estão defasados por que o governo Doria provocou um apagão nos dados de internações de pacientes com covid-19. Desde a última sexta-feira (28) o sistema de monitoramento de internações não é atualizado. O governo Doria alega que está modernizando o sistema, mas não tem previsão para normalizar a situação.

Além disso, das 17 regiões do estado, apenas três estão com ocupação de UTI abaixo de 80%: Grande São Paulo (79,9%), Baixada Santista (71,3%) e Campinas (76,5%). Das demais, sete estão entre 80% e 90% de ocupação e outras sete com mais de 90% de ocupação. Situação que perdura desde o final de março.

Com o aumento das internações por covid-19, já começa a subir também o número de mortes por covid-19 em São Paulo. Nas últimas duas semanas, houve crescimento de 8,4% na média diária de óbitos pela doença. A média diária passou de 478, na semana do dia 19, para 518, na última semana. Apenas na última semana, 3.661 pessoas morreram por complicações da covid-19 no estado.

O número de novos casos de covid-19 também vem registrando crescimento nas últimas semanas. Porém, o último dado mostra uma queda, causada por falhas no sistema de registro do Ministério da Saúde, que ficou fora do ar nos dias 28 e 29 de maio, prejudicando a contabilização. Mesmo assim, São Paulo registra hoje mais de 400 casos por 100 mil habitantes. O padrão mundial considera que a partir de 100 casos por 100 mil habitantes, a situação é de total descontrole da pandemia. Apesar disso, Doria segue prometendo que no dia 15 de junho vai começar a valer a nova fase verde.


Leia também


Últimas notícias