SEM EFICÁCIA

Medicamentos do ‘kit covid-19’ são contraindicados por equipe do Ministério da Saúde

Documento diz que cloroquina e azitromicina, defendidos por Bolsonaro, não têm eficácia

Cléber Medeiros/Senado Federal Fonte: Agência Senado
'A cloroquina e a hidroxicloroquina não devem ser utilizadas, independentemente da via de administração (oral, inalatória ou outras)', diz parecer

São Paulo – A nova equipe de especialistas coordenada pelo Ministério da Saúde elaborou um parecer contraindicando os medicamentos do chamado ‘kit covid-19’, que inclui cloroquina, hidroxicloroquina, azitromicina, ivermectina, colchicina. O documento diz que os medicamentos não têm eficácia, contra a doença, comprovada cientificamente para pacientes hospitalizados.

O documento foi apresentado à Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec), ainda na semana passada, e recebeu parecer favorável. Desde ontem (17), está aberta uma consulta pública para que o documento receba contribuições até o próximo dia 27.

O grupo fez a revisão de oito diretrizes nacionais e internacionais para o tratamento da covid-19. Ele é composto por médicos de diferentes especialidades, farmacêuticos e representantes da pasta federal, de universidades e de sociedades médicas, entre elas, a Associação de Medicina Intensiva Brasileira (Amib), a Associação Paulista de Medicina (APM) e a Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI).

Cloroquina não é recomendável

A hidroxicloroquina e azitromicina, medicamentos do ‘kit covid-19’, e que ficaram famosos após o lobby do presidente Jair Bolsonaro, são totalmente contraindicados no documento, que apresenta os motivos. “Não há evidência de benefício seja no seu uso de forma isolada ou em associação com outros medicamentos; a cloroquina e a hidroxicloroquina não devem ser utilizadas, independentemente da via de administração (oral, inalatória ou outras)”, diz o parecer.

Desde o ano passado, as farmacêuticas fabricantes desses medicamentos já alertavam para a não eficácia no combate à covid-19. A Organização Mundial da Saúde (OMS) também já alertou, em 2020, para a ineficácia dessas medicações, baseada em um estudo publicado ainda em outubro.

O presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antonio Barra Torres, confirmou à CPI da Covid, no último 11, que a médica infectologista Nise Yamaguchi sugeriu mudar a bula da cloroquina. Segundo ele, em reunião realizada com o governo federal, Nise estava “mobilizada” para incluir na bula do medicamento a recomendação para uso no tratamento de pacientes com a covid-19.

Leia mais: