Por Deus

SP tem recorde de internações por covid-19 e estuda mais restrições. Mas Doria libera igrejas

São 15.749 pessoas internadas com covid-19, maior número de toda a pandemia. Doria assinou hoje decreto para liberar igrejas em qualquer fase da quarentena

GovSP

São Paulo – O estado de São Paulo tem hoje (1º) 15.749 pessoas internadas devido à covid-19, o maior número de toda a pandemia, segundo dados divulgados pelo governo de João Doria (PSDB). São 7.173 pessoas em unidades de terapia intensiva (UTI) – também o maior número até hoje – e 8.567 pessoas em enfermarias. A ocupação de UTI no estado está em 73,2% e na Grande São Paulo, em 74,3% – quase na fase vermelha da quarentena. A média de internações diária cresceu 18,4% e está em 1.862, mesmo não tendo havido aumento significativo no número de novos casos nos últimos dias. Hoje, cinco regiões estão na fase vermelha da quarentena, oito na fase laranja e três na fase amarela.

O aumento grave no número de internações está levando o Comitê de Contingência do Coronavírus do governo Doria a estudar novas medidas de restrição contra a covid-19, criando uma fase roxa – mais restritiva que a vermelha, com fechamento até dos serviços essenciais em alguns horários. “Isso implicaria talvez ter limitação de atividades, de algumas atividades que são classificadas como essenciais em determinados horários, especialmente nos horários noturnos e de madrugada”, explicou o coordenador do comitê, Paulo Menezes, em entrevista à CNN Brasil.

A criação de uma nova fase, com mais restrições, também busca responder ao desprezo da população pelas fases atuais da quarentena, após inúmeros afrouxamentos e mudanças nas regras pelo governo de João Doria (PSDB), cedendo a pressões de diversos setores empresariais. Hoje, mesmo na fase laranja, por exemplo, todos os setores econômicos podem funcionar, apenas com restrição de lotação e horário.

Por Deus

Porém, ao mesmo tempo em que estuda medidas mais restritivas contra a covid-19, Doria anunciou hoje que vai liberar o funcionamento de igrejas em qualquer fase da quarentena em São Paulo. O decreto que inclui as igrejas e templos religiosos em geral entre as atividades essenciais deve ser publicado amanhã (2).

“O decreto reconhece a essencialidade de todas as igrejas no estado de São Paulo e o seu funcionamento com a regularidade, obedecidos os critérios sanitários de proteção aos que dela participam. Esperança, fé e oração: com vacinas, vamos vencer a Covid. Viva a vida”, disse Doria, ignorando que as igrejas são locais com grande potencial de transmissão da covid-19, por serem espaços fechados, com concentração de muitas pessoas e cantos em coro.

Com o aumento das internações, cresceu também o número de mortes diárias por covid-19 em São Paulo. A média diária subiu de 219 óbitos diários para 242 na última semana. Um aumento de 10,5%. Já o número de novos casos cresceu percentualmente menos do que as novas internações, com aumento de 5,4% na última semana. São 9.400 novos casos por dia, em média.

Restrição

Com o agravamento da pandemia de covid-19, Doria implementou um “toque de restrição”, válido das 23h às 5h, todos os dias. O objetivo é impedir festas clandestinas e aglomerações em ruas, praças e outras áreas coletivas, situações que o governo paulista considera entre as principais responsáveis pelo aumento de internações em razão da covid-19. Segundo o governo, foram autuados 286 estabelecimentos por descumprimento da medida.

Leia mais:


Leia também


Últimas notícias