Descontrole

A cada 6 minutos, uma pessoa morre de covid-19 no estado de São Paulo

Média de um morto a cada seis minutos é a mesma de Los Angeles, nos EUA, país com o maior número de mortes no mundo pelo coronavírus

Montagem SecomSP/PT
Recorde de pessoas internadas em UTI com covid-19 indica que, em breve, número de mortes por covid-19 deve aumentar ainda mais em São Paulo

São Paulo – A cada seis minutos, uma pessoa morre de covid-19 nos hospitais do estado de São Paulo. A média anunciada pelo secretário-executivo do Centro de Contingência do Coronavírus de São Paulo, João Gabbardo, na última sexta-feira, coincide com a de Los Angeles, na Califórnia, novo epicentro da pandemia nos Estados Unidos.

O país segue na liderança mundial do número de mortos, com mais de 417 mil óbitos segundo o observatório da universidade Johns Hopkins, em Baltimore. O número é quase o dobro do Brasil, que segue folgado na vice-liderança, com mais de 216 mil, segundo o mesmo banco de dados.

“São Paulo apresenta neste momento um óbito a cada seis minutos. O tempo que nós demorarmos para tomar medidas necessárias signica óbitos nessa velocidade”, disse Gabbardo.

Doria maquiou dados em São Paulo

Para favorecer os candidatos do PSDB às prefeituras na eleição de 2020, especialmente Bruno Covas, na capital paulista, João Doria adiou medidas e maquiou a gravidade da doença no estado. Em 16 de novembro, admitiu que o aumento nas internações por covid-19, mas adiou a mudança nas regras da quarentena para o dia 30 de novembro, após o segundo turno.

O Estado de São Paulo é o campeão de mortes pela doença causada pelo novo coronavírus no Brasil. Desde o início da pandemia, em março, já morreram mais de 51.423 pessoas. O número é 3,6 vezes maior que o número de mortos em Minas Gerais. Entretanto, a população paulista, com 46.289.333 habitantes, é 2,17 vezes maior que a mineira, com 21.292.666, segundo o IBGE.

A desproporção entre o tamanho da população e o número de mortes por covid-19 é mais um indicador de que o estado mais rico da federação, cujo governador João Doria (PSDB) se gaba de produzir a vacina que vai salvar o Brasil, não tem sido assim tão eficiente como deveria na prevenção e combate à doença.

Há um aumento de 79% no contágio da covid-19 em São Paulo nas últimas quatro semanas, sendo que na última, foram registradas 10.023 por dia. Como consequência, as internações aumentaram 25% no período, uma média diária de 1.664 pessoas internadas, que passaram a ocupar 71,1% dos leitos de UTI disponíveis. O número de mortes disparou em 96%.

Redação: Cida de Oliveira