Que futuro?

O que será do planeta depois da covid-19? Entrevista com Renato Janine Ribeiro

Confira também reportagem sobre o que o Hospital das Clínicas e o Museu do Futebol têm a ver com as preocupações com o Alzheimer

Rovena Rosa/ EBC
Nunca mais seremos como antes da covid-19 ou algum dia tudo voltará ao normal?

São Paulo – Este 2020 é, por enquanto, forte candidato a ser chamado de “o ano do século”. Alguns dizem simplesmente que foi um ano que não existiu. A pandemia do novo coronavírus mexeu com o planeta inteiro. Economia, política, comportamento, tecnologia. Não houve uma área que não tenha sido afetada. As instituições foram testadas e cobradas. Governos foram obrigados a buscar soluções nunca antes pensadas. A própria democracia foi colocada em xeque em alguns países. Mas o que sobra dessa tempestade para o Brasil e para o mundo? Nunca mais seremos como antes ou tudo voltará ao normal depois da covid-19?

Para responder a essas e outras perguntas, o canal Planeta Azul entrevistou o filósofo e ex-ministro da Educação Renato Janine Ribeiro. Além das reflexões sobre que mundo teremos depois da covid-19, Janine analisa os principais acontecimentos que têm afetado a vida nos países. A desigualdade social, a polarização política e a necessidade de se reconstruírem caminhos para uma retomada civilizatória. Confira.


O HC e o Museu do Futebol em campo contra o Alzheimer

O diagnóstico da doença de Alzheimer provoca um grande impacto em quem descobre que tem esse mal e em sua família. O doente vai perdendo a memória e deixa de reconhecer as pessoas mais próximas. Apesar de ainda não haver cura para a doença de Alzheimer, existem maneiras de diminuir seus impactos com o estímulo intelectual e emocional.

E é exatamente isso que o projeto Revivendo Memórias vem fazendo. A ideia é usar o futebol para reavivar as memórias dos pacientes e aumentar a conscientização dos seus cuidadores.

O projeto é uma parceria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP e do Museu do Futebol de São Paulo. Os resultados têm impressionado médicos e pesquisadores. Confira na reportagem especial da semana em O Planeta Azul.