triste realidade

Médicos denunciam desmonte de hospitais públicos pelo governo Doria

Oposição ao governador na Assembleia Legislativa de São Paulo deve tomar ações para apurar denúncias de desmonte de hospitais públicos no estado de São Paulo

Marcos Santos/USP Imagens
Hospital Universitário da USP: sem capacidade para atender os casos de covid-19

São Paulo – Médicos do Emílio Ribas e do Hospital Universitário da USP denunciaram o desmonte de hospitais públicos no estado de São Paulo, pelo governador João Doria.

O deputado federal Alexandre Padilha (PT) disse nas redes sociais nesta segunda-feira (28) que a oposição ao governador na Assembleia Legislativa de São Paulo deve tomar ações para apurar essas denúncias de desmonte de hospitais públicos no estado.

Padilha fez referência a um artigo publicado pela médica infectologista do Hospital Emílio Ribas Marta Ramalho, que atua na instituição desde 1992. No artigo, publicado no Vi o Mundo, a médica denuncia que mais um andar do hospital vai passar para a gestão da organização social (OS) Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM).

“Triste por ter acabado de saber que mais um andar (desta vez, o oitavo) se transformará em unidade SPDM. Com o pretexto quiçá falso de que não há enfermagem suficiente. Pretexto, aliás, não suficientemente demonstrado e combatido por quem teria a possibilidade de revertê-lo. Ao final, do Emílio ‘Raiz’, sobrará, até aqui, o ambulatório, uma UTI, o PS, o terceiro andar e o sexto andar”, afirma a médica. Ela denuncia que a operação é feita no apagar das luzes de 2020.

Hospital Universitário

“Hospitais Públicos de São Paulo desmontados pelo governo do estado, em meio à pandemia. Ontem denunciamos o que acontece no Emilio Ribas. Hoje reproduzimos o que diz o médico infectologista Gerson Salvador, no Hospital Universitário da USP”, disse Padilha em sua conta no Twitter. Também nas redes sociais, o médico denuncia a explosão de casos de covid-19 e a insuficiência dos hospitais públicos em atender a demanda.

“Já acionamos parlamentares da Assembleia. Governo Doria tem que ser convocado, MP estadual acionado”, disse Padilha. “Os parlamentares, na Assembleia, podem constituir uma ação rápida de diligência para apurar denúncias feitas pela Associação de trabalhadores e de médicos do Emilio Ribas e pelos médicos do HU. Inadmissível governo Doria!”, afirmou Padilha, indicando que os deputados estaduais Paulo Fiorilo e Emídio de Souza, ambos do PT, devem tomar as medidas.