Por descaso

Há 11 semanas no epicentro mundial da pandemia, Brasil tem mais 1.204 mortos pela covid-19

Diferentemente de outros países que passaram pelo momento de maior mortalidade pelo coronavírus, o pico da pandemia de covid-19 no Brasil insiste em permanecer

CC.0 wikimedia
Difícil falar em segunda onda sem superar a primeira. Mas cientistas temem novo aumento na letalidade

São Paulo – O Brasil volta a registrar mais de mil mortes em um dia tendo a covid-19 como causa. Nas últimas 24 horas foram mais 1.204 vítimas. Desde o início do surto, em março, já são 112.304 mortos pela doença provocada pelo novo coronavírus, de acordo com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). Os dados foram atualizados no início da noite desta quinta-feira (20). Com mais 45.323 casos, já são 3,5 milhões de infectados pela doença (confira no quadro abaixo).

Desde o início de junho o país registra média diária de mortos acima de mil pessoas. Nas últimas 11 semanas, o Brasil se mantém como país com mais mortes pela covid-19. A Organização Mundial da Saúde (OMS) declara o país como epicentro da pandemia desde então.

Diferentemente de outros países que já passaram pelo momento de maior mortalidade pelo coronavírus, o auge da pandemia no Brasil insiste em permanecer. Em países fortemente atingidos, como Espanha, Itália e Reino Unido, o pico de mortes foi seguido de rápido decréscimo na curva contágio em uma ou duas semanas após o pico. No Brasil, já passa de dois meses.

Números da pandemia de covid-19 no Brasil, de acordo com o Conass

Nos estados

Essa situação encontra razões no descaso do poder público. Enquanto o governo federal não realizou ações de contenção e controle de contágio, pouco ou nada foi feito em relação ao isolamento social.

Mesmo os governadores que, no início do surto, fizeram discursos de enfrentamento aos desmandos de Jair Bolsonaro, acabaram cedendo às pressões do governo federal e de setores empresariais. Após medidas fracas de isolamento social, decretadas especialmente entre abril e junho, passaram a flexibilizar e até a levantar totalmente as medidas de segurança sanitária.

São Paulo segue como o estado mais afetado pela covid-19. São 730.828 infectados e 27.905 mortos, seguido pelo Rio de Janeiro, com 205.916 casos e 15.074 mortos. Em seguida vem o Ceará, com 202.422 casos e 8. 245 mortos. A Bahia tem mais casos mesmo que o Rio de Janeiro, mas menos mortes. Parte disso se explica por ser um estado que testa mais do que a média, assim como o Ceará. Na Bahia, são 228.596 casos e 4.685 mortos.

Estados brasileiros mais afetados pela covid-19

Edição: Fábio M. Michel