tragédia

Brasil registra 1.129 mortos pela covid-19 em 24 horas. Pandemia segue descontrolada

Desde o início da pandemia, 91.263 brasileiros morreram, sem contar os casos não notificados. Poder público pouco ou nada fez

Reprodução
Brasil vive uma situação ímpar no mundo civilizado. No país, as autoridades que deveriam ser responsáveis pelo controle e combate à covid-19 pouco ou nada fizeram

São Paulo – O Brasil tem mais um dia com mais de mil mortes registradas pela covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus. Em 24 horas, foram 1.129 novas vítimas. A informação é do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), em boletim divulgado no início da noite desta quinta-feira (30). Desde o início da pandemia, em março, já são 91.263 mortos pelo vírus nesta que é a maior crise sanitária do século.

O número de novos doentes no período também foi elevado. Foram 56.837 casos, totalizando 2.610.102 brasileiros infectados desde março. O Brasil segue como segundo país mais atingido pelo vírus no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos, que totaliza quase 4,5 milhões de casos e mais de 152 mil mortos.

Em relação aos países sul-americanos, o Brasil é o mais afetado. A soma dos 11 países do continente é de pouco mais de 45 mil mortos. A população do Brasil é similar ao total dos outros membros do continente – entretanto, o número é duas vezes maior.

Outro dado importante em relação à pandemia é a subnotificação. O Brasil é um dos países que menos realiza testes de covid-19. Mesmo os profissionais de saúde, que trabalham diretamente em contato com o vírus, são pouco testados. Estudo divulgado hoje pela Fundação Getúlio Vargas revela que menos da metade desses trabalhadores já passou por testagem.

Dados consolidados pelo Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass)

Epicentro

O Brasil vive uma situação ímpar no mundo. No país, as autoridades que deveriam ser responsáveis pelo controle e combate à covid-19 pouco ou nada fizeram. O governo Bolsonaro desde o início desdenha da ciência e do vírus. Promove aglomerações constantes e força o fim do isolamento.

Governadores, que no início da pandemia decretaram medidas leves de distanciamento, agora passam a suspendê-las de forma precoce, de acordo sem ouvir os alertas de cientistas. O resultado é que o Brasil é o epicentro da pandemia de covid-19 há cerca de um mês, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Entre as unidades da federação, São Paulo segue a mais afetada. O estado tem 529.006 doentes, de acordo com registros oficiais, e 22.710 mortos. Em seguida vem o Ceará, que tem mais casos do que o terceiro mais afetado, Rio de Janeiro, mas menos mortes. Isso se dá pois o Ceará é um dos estados que mais testa no país. Tem 171.468 doentes e 7.661 mortos, enquanto o Rio registra 163.642 infectados e 13.348, respectivamente.

Tabela dos estados mais afetados pela covid-19 no Brasil


Leia também


Últimas notícias