"gripezinha"

Brasil tem mais 1.269 mortos pela covid-19 e se aproxima de 1 milhão de casos confirmados

País é o epicentro da doença no mundo, mas estados seguem decretando relaxamento do isolamento social, defendida pela OMS para reduzir o contágio

Altemar Alcantara.Semcom
Estabilidade da pandemia em Manaus: enterros voltam a ser realizados em covas individuais

São Paulo – Em boletim divulgado no fim da tarde desta quarta-feira (17), o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) mostra que Brasil teve outro período de 24 horas com mais de mil mortes causadas pela covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus. Foram 1.269 vítimas no período. Desde o início do surto, em março, já morreram 46.510 pessoas pela infecção.

Também o número de novos doentes confirmados segue em alta. No último período, foram mais 32.188 casos oficialmente registrados, de acordo o boletim. Com isso, o Brasil soma 955.377 infectados desde março.

(Conass/Reprodução)

Com cerca de 10% das mortes no mundo, o Brasil é o atual epicentro da doença, por contabilizar o maior número diário de óbitos. O país é o segundo mais afetado pelo vírus, atrás apenas dos Estados Unidos (2.192.584 infectados e 119.085 mortos). No planeta, o novo coronavírus já deixa um rastro de mais de 8 milhões de infectados e 445 mil mortos.

Cientistas, ao lado da Organização Mundial da Saúde (OMS), apontam para o momento delicado da pandemia em território brasileiro. Desde a semana passada, muitos estados passaram a relaxar o isolamento social e a permitir a reabertura das atividades econômicas, mesmo com a pandemia sem controle e com alto número de mortes – índices que indicam que o país está longe de achatar a curva de contaminação.

“A epidemia segue severa no Brasil. É um momento de extrema cautela. O Brasil precisa focar no distanciamento social, na higiene, redução de aglomerações e cuidados com populações em situações difíceis”, disse o diretor-executivo da OMS, Michael Ryan, em entrevista coletiva concedida hoje.

Recordes no epicentro

São Paulo segue como epicentro da pandemia no país. O estado tem 191.517 infectados e 11.521 mortos e, também hoje, registrou um novo recorde de mortos: 387. O segundo dia com mais mortos em 24 horas foi ontem, com 365 vítimas oficiais.

O aumento do número de óbitos e de casos em São Paulo vem aliado à maior ocupação de leitos hospitalares no estado. Os números apontam para a piora do cenário da pandemia, duas semanas após o relaxamento das medidas de isolamento social. O governo de João Doria (PSDB), na contramão do bom senso, argumenta pela tendência da estabilização da pandemia, mas ao mesmo tempo prevê “até 18 mil mortos” até o final do mês.

Edição: Fábio M Michel