Isolamento na pandemia

Ministério Público quer bloqueio total no Rio de Janeiro

MP-RJ divulgou recomendação ao governador e ao prefeito do Rio para que adotem o chamado lockdown por pelo menos 15 dias. Estado já tem mais de 2 mil mortes por covid-19

Tomaz Silva/EBC
MP-RJ também recomenda que bloqueio total venha acompanhado de medidas de assistência social

São Paulo – O Ministério Público do Rio de Janeiro recomendou, nesta quinta-feira (14), que o governo do estado e a prefeitura da capital fluminense adotem medidas mais rígidas de isolamento social, o chamado lockdown. De acordo com o MP-RJ, o bloqueio total das atividades não essenciais e a restrição na circulação das pessoas devem vigorar por um prazo, renovável, de 15 dias, levando-se em conta as zonas mais críticas do estado, como a capital e a região metropolitana. 

No último balanço sobre o novo coronavírus, a Secretaria estadual de Saúde divulgou que 2.050 mil pessoas haviam morrido em decorrência da covid-19. Até esta quarta (13), o estado registrava, ao todo, 18.728 casos confirmados da doença. 

O rápido avanço da pandemia já provocou os primeiros sinais de colapso nas redes de saúde pública e privada, que operam com taxa de ocupação de mais de 90% dos leitos. Para o MP, o bloqueio total será “eficaz na redução da curva de casos e para dar tempo de reorganização do sistema, em situação de aceleração descontrolada de casos e óbitos.

A recomendação do órgão leva em conta relatório da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), enviado na semana passada. A entidade alertava o MP de que, caso medidas mais rígidas não fossem tomadas, haveria um agravamento da epidemia e os faltariam leitos de UTI já neste mês. O documento da Fiocruz também apontava para um aumento ainda maior no número de mortes evitáveis. 

Na nota, o MP-RJ também recomendou ao governo e à prefeitura que o lockdown venha acompanhado de medidas de assistência social “que visem assegurar condições de sobrevivência à população”.


Leia também


Últimas notícias