São Paulo

Letalidade da covid-19 em jovens e adultos cresceu 18 vezes em um mês

No início de abril, 14% das mortes por covid-19 eram de pessoas com menos de 60 anos. Passados 30 dias, jovens e adultos já são 26% do total de mortos

Marcello Casal Jr./EBC
Desde o dia 21 de janeiro o Brasil tem média de mortes acima de mil por dia, números semelhantes ao pior momento da pandemia até então, registrado entre junho e setembro

São Paulo – A informação de que o coronavírus é mais letal para idosos e pessoas com outras doenças fez com que muita gente desacreditasse do risco da covid-19 para adultos e jovens. No entanto, dados do Comitê de Contingência do Coronavírus de São Paulo indicam que é preciso cautela. Em um mês, o número de jovens e adultos que morreram em decorrência da covid-19 cresceu 18 vezes. Balanço divulgado neste domingo (3) mostra que, das 2.627 vítimas, 693 (26%) tinham menos de 60 anos. Em 4 de abril, eram apenas 37 (14%), de um total de 260 mortes.

Por faixa etária, a maior parte das mortes se concentra na população acima de 60 anos, sendo maior entre 70 e 79 anos: 664. Seguida por 60-69 anos (579) e 80-89 (511). Também morreram 180 pessoas com mais de 90 anos. Fora do grupo de idosos, há também alta mortalidade entre pessoas de 50 a 59 anos (353 do total), seguida pelas faixas de 40 a 49 (206), 30 a 39 (100), 20 a 29 (25) e 10 a 19 (8), e um com menos de 10 anos. Entre as vítimas, 1.538 eram homens e 1.089 mulheres.

O estado de São Paulo acumula 31.772 casos e 2.627 mortes provocadas pelo novo coronavírus. Até o domingo (3), 87,1% dos leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) da Grande São Paulo estavam ocupados. Em todo o estado, nos hospitais públicos, há 9,1 mil pacientes internados, somando 3.534 em UTIs e 5.589 em enfermarias.

Flexibilização da quarentena

O governador João Doria (PSDB) afirmou hoje (4) que cidades em que a adesão ao isolamento social estiver abaixo de 50% estarão automaticamente excluídas da flexibilização da quarentena, prevista para a próxima segunda-feira (11). Segundo o Sistema de Monitoramento Inteligente (Simi-SP) do governo paulista, o percentual de isolamento social foi de 59% ontem. A partir da próxima quinta-feira (7), o uso de máscara será obrigatório em todo o estado.

Doria disse que a possibilidade de lockdown – restrição mais rígida de circulação e da abertura de comércios e serviços – não está sendo estudada no momento, mas que também não está descartada, se a situação da pandemia não melhorar. Hoje, a prefeitura de São Paulo começou a bloquear algumas vias da cidade para reduzir a circulação da população e tentar conter a proliferação do coronavírus.