saúde do planeta

Indígenas, artistas e cientistas se unem contra a covid-19 na Amazônia

Evento na noite desta quinta (28), com artistas, intelectuais e indígenas, apoia Fundo de Emergência da Amazônia para proteger os povos indígenas

Reprodução
Os povos indígenas são os melhores protetores da floresta. Protegê-los é vital para a saúde do planeta

São Paulo – Mais de 40 artistas, entre eles Jane Fonda, Barbra Streisand, Morgan Freeman, Wagner Moura, Carlos Santana e Peter Gabriel, cientistas como Carlos Nobre e Jean-Michel Costeau e lideranças indígenas da América do Sul, entre elas Sônia Guajajara, estarão nesta quinta-feira (28), das 20h às 22 horas no Artists Uniteds for Amazonia. O evento global, com transmissão ao vivo, promoverá o Fundo de Emergência da Amazônia, O fundo foi lançado no mês passado por uma coalizão de organizações indígenas, ONGs e aliados para responder às necessidades urgentes de povos indígenas da Amazônia ameaçados pela covid-19.

Os recursos arrecadados serão utilizados em ações para prevenção e atendimento, alimentos e suprimentos médicos, comunicações de emergência e evacuação, proteção e segurança para territórios indígenas, soberania alimentar e resiliência da comunidade.

O Fundo de Emergência da Amazônia pretende arrecadar US$ 5 milhões nos próximos 60 dias para proteger os povos indígenas contra a pandemia nos nove países por onde se estende a Amazônia (Colômbia, Venezuela, Equador, Bolívia, Guiana, Suriname, Peru e Guiana Francesa.

O evento em defesa da Amazônia contará com apresentações musicais, pronunciamento de artistas, entrevistas e exposições sobre a sabedoria indígena. Há mais de 92.000 casos conhecidos de covid-19 e mais de 5.000 mortes confirmadas em toda a região. O risco é cada vez maior para esses povos, que podem enfrentar um etnocídio.

De acordo com o Fundo de Emergência da Amazônia, os povos indígenas Achuar, no Equador, registraram uma dúzia de casos; os Shipibo, do Peru, 45 mortes, e no Brasil, houve 121 mortes e 846 casos. Os casos são subnotificados e as atividades ilegais de desmatamento e mineração em terras indígenas aumentam ainda mais o risco de exposição ao novo coronavírus.

Em abril, centenas de organizações em todo o mundo assinaram um acordo contra incursões na Amazônia e pediram o fim de todas as atividades destrutivas que degradem e desmatam ainda mais a região. Os povos indígenas são os melhores administradores e protetores da floresta amazônica e, portanto, sua proteção é vital para a saúde do planeta.