Descaso

Governo Bolsonaro entrega apenas 6% de 14 mil respiradores prometidos

Lideranças políticas apontam que o mesmo Bolsonaro que se empenha para liberação da cloroquina entregou apenas 823 respiradores a 16 estados

Reprodução
Cronograma do Ministério da Saúde indicava que ao menos 2.600 respiradores seriam entregues neste mês de maio. Enquanto os demais teriam um prazo de até 90 dias. Governo entregou menos de um terço do prometido

São Paulo – Do total de 14.100 respiradores prometidos pelo governo Bolsonaro em abril, até esta segunda-feira (18) apenas 823 equipamentos foram entregues às redes de saúde. A previsão era de que até maio ao menos 2.600 respiradores chegassem aos hospitais, enquanto as demais entregas fossem feitas em 90 dias.

Até agora, contudo, o governo cumpriu menos de um terço do prometido para o mês e somente 6% da oferta total. As informações são do jornal Folha de S.Paulo. 

Considerados peça chave para a recuperação da maioria dos pacientes gravemente afetados pelo novo coronavírus, os respiradores são necessários para o fornecimento de mais oxigênio para os pacientes e por garantir tempo para o tratamento entrar em vigor. Mas oferta do equipamentos na rede pública de saúde dos estados é insuficiente para atender à demanda criada pela pandemia. 

Depois de alguns estados se lançarem por conta própria para a compra do equipamento, o Ministério da Saúde anunciou cronograma para a entrega a partir de maio. Longe de cumprir o prometido, a pasta alegou ao jornal que tem sofrido com problemas logísticos. Dos 823 equipamentos adquiridos, 266 chegaram a 16 estados e municípios nos últimos três dias.

Segundo o secretário-executivo adjunto da Saúde, Élcio Franco, há dificuldades com os fornecedores. O governo afirma que vem ampliando o número de empresas nacionais fabricantes de respiradores, depois de problemas em importar equipamentos. 

Empenhado na cloroquina

Pelas redes sociais, a deputada federal Sâmia Bomfim (Psol-SP) comparou o atraso do governo ao empenho que o presidente Jair Bolsonaro dedica à liberação da cloroquina para tratamento da covid-19. “Toda energia e investimentos na farsa da cloroquina deveriam ter sido canalizados para o que realmente importa: respiradores. Equipar UTIs. Hospitais de campanha. Fila única. E, claro, pagar o auxílio emergencial. Já são 16.937 mortes no Brasil”, criticou a parlamentar.

A deputada federal Gleisi Hoffmann (PR), presidenta nacional do PT, ressaltou que o país já tem confirmado mais de 250 mil casos da doença. “Somos o 3º país em contaminação no mundo e Bolsonaro entrega apenas 823 respiradores. Não apoia as empresas, não paga o auxílio para quem mais precisa. Veja como esse governo trata os brasileiros”, disse pelo Twitter