balanço

Brasil tem 11.519 mortos pelo novo coronavírus e quase 170 mil casos

O número de doentes chegou a 168.331, desde o início do surto. Nas últimas 24 horas, foram acrescentados 5.632 novos casos e 396 mortes

Ejército de Tierra
Subnotificação é realidade no país. Número de casos é muito superior, já que número de testes é baixo

São Paulo – A semana começou com a confirmação de 396 novos mortos pela covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2). Já são 11.519 vidas brasileiras ceifadas pela pandemia – pelo menos segundo os registros oficiais desta segunda-feira, 11 de maio. A taxa de mortalidade segue constante, em 6,8% dos casos confirmados.

A subnotificação do total de casos é uma realidade. Instituições do Brasil e do exterior estimam que o total de infectados no país já passa de 1 milhão. Os casos confirmados pelo Ministério da Saúde são 168.331. Nas últimas 24 horas, foram acrescentados 5.632.

Do total de casos, o Sudeste concentra 72.209 doentes e 5.830 mortos – metade do total nacional. O Nordeste vem na sequência, com 55.308 doentes e 3.337 mortos. Seguem as regiões Norte (28.051 doentes e 1.944 mortos), Sul (7.954 casos confirmados e 285 óbitos) e Centro-Oeste (4.809 e 123, respectivamente).


O estado de São Paulo, epicentro dos contágios, registrou oficialmente 46.131 casos e 3.743 mortes. Hoje (11), o governador João Doria (PSDB) admitiu a possibilidade de uma quarentena mais pesada, conhecida como lockdown. Na capital, começou a vigorar um rodízio ampliado de carros, em que metade da frota é impedida de circular por dia.

Os casos mais complexos seguem Manaus, com sinais de colapso nos sistemas de saúde e funerário, Amapá, na mesma situação, Belém do Pará, que já vive o lockdown. Além disso, cidades do Nordeste, como Fortaleza, começam a adotar a medida mais radical. No Rio de Janeiro, Niterói também passa por uma quarentena agressiva.