coronavírus

Isolamento social melhora, mas capital paulista já tem 56% das UTIs ocupadas

Segundo o Comitê de Crise do Coronavírus, monitoramento eletrônico indica que a adesão ao isolamento social subiu de 47% para 59% dos paulistanos

Tania Regô/Agência Brasil
adesão ao isolamento social melhorou e segue sendo a medida mais recomendada no combate ao coronavírus

São Paulo – O governador paulista, João Doria (PSDB), afirmou nesta segunda-feira (13) que a adesão da população paulista ao isolamento social subiu de 47% para 59%, na medição realizada entre quinta-feira (9) e ontem. O governo estadual vai iniciar hoje uma campanha de rádio, TV e redes sociais para orientar a população sobre a importância de seguir o isolamento social, buscando chegar à adesão ideal, de 70%. Por ora, ainda estão descartadas medidas de restrição obrigatórias.

“Não deem atenção a informações que digam o contrário (das medidas de isolamento). A boa notícia é que o esforço feito nos últimos dias deu certo. É uma conquista da população e da ciência”, disse Doria, que voltou a destacar que as medidas aplicadas no estado seguem apenas orientação científica. A quarentena no estado vale até o próximo dia 22.

A melhora na adesão ao isolamento social chega em um momento preocupante no sistema de saúde da capital paulista. Segundo o prefeito Bruno Covas (PSDB), 56% das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) da cidade estão ocupadas no momento. Mesma situação de 60% dos leitos de baixa complexidade dos hospitais de campanha. Mas o pico de casos está previsto para o fim de abril ou o início de maio, o que pode levar à falência do sistema de saúde se a contaminação não for reduzida.

“Não é hora de dividir mais o país. É hora de reconhecer o sacrífico de várias famílias. Esse momento (de isolamento social) não é simples, nem fácil, mas é necessário”, afirmou Covas.

Segundo os dados da Secretaria de Estado da Saúde, foram registrados 8.755 casos de infecção por coronavírus em São Paulo, com 588 mortes, uma taxa de letalidade de 4,4%. São 836 pessoas internadas em UTIs e 901 em enfermarias. O estado também registrou 1.524 altas de pacientes que precisaram de internação. O crescimento do número de casos foi de 10% e, das mortes, 3%, o que mostra uma redução nos números da última semana, quando o crescimento chegou a 16%, indicando a eficácia do isolamento social. No país são 22.169 casos, com 1.223 mortes.

Doria também anunciou a contratação de 1.185 profissionais de saúde, sendo 260 remanescentes de concursos públicos e 925 contratações diretas, por 12 meses. Do total, serão 245 médicos, 630 profissionais de enfermagem e os demais de várias funções da área. O governo paulista também vai mobilizar 200 agentes de vigilância sanitária, com apoio da Polícia Militar, para orientar e dispersar aglomerações e fechar comércios que estejam abertos de forma irregular.