Coronavírus

EUA vão enfrentar as semanas mais difíceis. Europa reduz mortes

Com 245 mil casos, Estados Unidos concentram o maior número de infectados, mas ainda não superam Itália e Espanha em mortes

Pixabay
Cidade de Nova York tem mais de 63 mil casos de contaminação. No estado de NY são mais de 113 mil casos e 3.500 mortes, segundo a agência AFP

São Paulo – Os últimos números sobre casos de coronavírus no mundo neste domingo (5) totalizam 1.260.104 infectados com 68.403 mortes em 183 países ou regiões. Os dados são da Universidade Johns Hopkins.

Os Estados Unidos são o país que mais concentra casos de infectados, são mais de 245 mil pessoas. Em mortes, o país governado por Donald Trump é o terceiro, com 6.053 ocorrências até este domingo, superado por Itália e Espanha, com respectivamente, 13.917 e 10.003 mortes.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou neste sábado que o país pode estar caminhando para as semanas “mais difíceis” na pandemia do novo coronavírus, com um grande aumento do número de mortes em decorrência do patógeno nos próximos dias.

“Haverá muitas mortes, infelizmente”, disse Trump em seu pronunciamento diário sobre a pandemia de covid-19, a doença respiratória causada pelo novo coronavírus. País com maior número de infecções (mais de 312 mil), os EUA já têm mais de 8,5 mil mortes em decorrência do vírus confirmadas, mais de 2,6 mil delas somente na cidade de Nova York.

“Estamos caminhando para um momento que vai ser muito horrendo”, disse Trump na Casa Branca. “Provavelmente nunca vimos nada como este tipo de números. Talvez durante a guerra, durante uma ou duas guerras mundiais ou algo assim.”

Itália conta menos vítimas

A Itália registrou neste domingo o menor número de mortes diárias em decorrência do novo coronavírus desde o dia 19 de março. Segundo a Defesa Civil italiana, foram contabilizadas 525 novas vítimas, 156 a menos do que os óbitos registrados de sexta-feira para sábado.

Este é o segundo dia consecutivo que a Itália tem uma queda no número de mortes em decorrência da pandemia novo coronavírus. Além disso, o dado é o menor registrado desde o último 19 de março, quando o país teve 427 óbitos em um dia. Desde então, a quantidade de pessoas que morreram com covid-19 crescia diariamente.

De acordo com o balanço, a Itália já contabilizou 128.948 desde o início da epidemia. Atualmente, existem 91.246 casos ativos. Com os novos dados, a Defesa Civil projetou que o país está mais próximo de reduzir ao menos a quantidade de óbitos. Nas últimas 24 horas, ocorreu uma queda no número de cidadãos curados.

Espanha confirma que isolamento funciona

A taxa de novas infecções e mortes por coronavírus na Espanha diminuiu novamente neste domingo (5), com o país, um dos mais atingidos pela pandemia, iniciando sua quarta semana de isolamento quase total.

As mortes pela doença respiratória altamente contagiosa covid-19 subiram para 12.418 – a segunda maior marca do mundo depois da Itália.

No entanto, o número de 674 pessoas que morreram nas últimas 24 horas caiu em relação às 809 desse sábado e bem abaixo do recorde diário de 950 de quinta-feira (2), informou o Ministério da Saúde.

O número total de infecções registradas aumentou para 130.759 em relação às 124.736 de ontem.

“Os dados da semana e de hoje confirmam a desaceleração das infecções”, disse o ministro da Saúde, Salvador Illa, em entrevista coletiva. “Os dados confirmam que o confinamento está funcionando.”

França: melhor resultado em uma semana

A França registrou neste domingo 357 mortes por coronavírus em hospitais nas últimas 24 horas, o menor número diário em uma semana, elevando a cifra de óbitos pela covid-19 no país para 8.078.

A contagem inclui 5.889 pacientes mortos em hospitais e 2.189 pessoas em casas para idosos e outras instalações médicas, informou um comunicado do governo.

A agência informou que agora existem 28.891 pessoas com coronavírus em hospitais franceses – aumento de 748 em relação à véspera – com 6.978 em terapia intensiva – um aumento diário de 140, que também foi o número mais baixo em dias.

Desde 17 de março que a França vive sob regime de isolamento social, em uma tentativa de retardar a propagação da epidemia, sendo permitidas apenas viagens essenciais.

Houve 70.478 casos confirmados de coronavírus na França, mas esse não é o total, já que testes para o vírus não são realizados sistematicamente.

Com Opera Mundi, DW e ABr


Leia também


Últimas notícias