balanço

Covid-19 segue expansão e Brasil passa de 2 mil mortos. Infectados são 33.682

Brasil acumula oficialmente 217 mortos e 3.257 novos casos nas últimas 24 horas. Letalidade sobe para 6,4%

Ministerio de Salud del Perú
São Paulo segue como o grande epicentro da pandemia no país. O estado soma 12.841 casos e 928 mortos

São Paulo – Balanço da pandemia de covid-19 no Brasil divulgado nesta sexta-feira (17) pelo Ministério da Saúde reafirma o espalhamento da contaminação da população pelo novo coronavírus e indica que deve seguir em escala agressiva. Nas últimas 24 horas, foram mais 217 mortos – média de nove vítimas a cada hora – e 3.257 novos casos, o que resulta, até aqui, em um total de 2.141 mortes e 33.682 doentes desde o início do surto.

A letalidade também segue crescendo dia após dia. Até ontem, 6,1% dos casos eram fatais. De acordo com levantamento desta sexta-feira, a porcentagem subiu para 6,4%. A alta letalidade, acima do padrão mundial, tem relação com o baixo número de testes realizados no país. Como faltam testes, os que existem são direcionados para os pacientes mais graves e já mortos, para confirmar a causa do óbito.

A subnotificação é a realidade no país. Com uma taxa de testagem abaixo da grande parte dos países afetados pelo novo coronavírus, pesquisadores de entidades como Fundação Oswaldo Cruz e Universidade de São Paulo alertam que o número de infectados pode ser até 15 vezes superior ao relatado pelas autoridades.

Os números recordes desta sexta são contabilizados no primeiro dia sem o ex-ministro Luiz Henrique Mandetta à frente da pasta da Saúde. Ontem, o médico e político foi demitido pelo presidente Jair Bolsonaro, por diferenças nas visões sobre como tratar a pandemia. Mandetta defendia orientações de cientistas e da Organização Mundial da Saúde, enquanto Bolsonaro segue forçando a retomada das atividades econômicas e minimizando os impactos da doença.

Números

São Paulo segue como epicentro da pandemia no país. O estado soma 12.841 casos e 928 mortos. Em razão do crescimento dos casos e mortes, o governador João Doria (PSDB) estendeu o período de quarentena até 10 de maio. A meta é de conseguir 70% de isolamento social. Este número, de acordo com o último balanço da Secretaria de Saúde, é de 50%.

Após São Paulo, o Rio de Janeiro tem os maiores números, com 4.349 casos de covid-19 e 341 mortes. Na sequência, vêm Ceará (2.648 casos e 149 mortos)m Pernambuco (2.006 e 186 mortos) e Amazonas (1.809 casos e 145 mortos).

A curva ainda está longe de atingir o seu ápice. Logo, a recomendação consensual de especialistas é o isolamento social, ficar em casa para evitar a disseminação do vírus e resguardar o sistema de saúde, que carece com falta de leitos e equipamentos.

Curva de casos e mortos


Leia também


Últimas notícias