balanço

Brasil soma 338 mortos pelo coronavírus em 24 horas. Pandemia segue em expansão

Com letalidade em 6,8%, Brasil vive em expansão da pandemia do novo coronavírus. Isolamento social segue como principal recomendação, especialmente em locais mais afetados

Scott Bigley / Lançado
São Paulo segue como o epicentro da crise do novo coronavírus no Brasil. São 21.696 casos confirmados da doença, com 1.825 mortos

São Paulo – Com número de mortos em 24 horas voltando a superar a casa dos 300, os casos fatais do novo coronavírus no Brasil chegaram a 4.543. De acordo com balanço do Ministério da Saúde, divulgado na tarde desta segunda-feira (27), foram 338 mortos, enquanto o total de casos teve incremento de 4.613, totalizando 66.501 doentes desde o início do surto.

No Brasil, a letalidade da covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus, está em 6,8%. Estudos de diferentes entidades ligadas à Saúde apontam que existe uma grande subnotificação no país. O número de infectados pode ser 15 vezes maior, apontam pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz.

A curva epidemiológica brasileira segue em expansão. Com um atraso de algumas semanas em comparação com outros países, o Brasil ainda não viveu o pior momento da pandemia. Os Estados Unidos, por exemplo, outro país continental, já registra mais de 1 milhão de doentes e quase 60 mil mortos.

O isolamento social segue como principal medida para achatar a curva epidemiológica. É importante que a doença se espalhe de forma mais lenta (o que já é possível notar em locais como São Paulo), para evitar colapso no sistema de saúde. Manaus é uma cidade brasileira que já vive essa situação, com relatos de pessoas mortas nas suas casas e com seus corpos sem serem retirados pelo serviço funerário. Outras capitais, como Fortaleza, estão próximos de viver situação parecida.

O governo Bolsonaro segue minimizando a doença e a pandemia, estimulando que os brasileiros deixem o isolamento. A postura foi lamentada pelo diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, Tedros Adhanom. “Damos conselhos com base na melhor ciência e evidência. Avisamos o mundo todo para implementarem uma abordagem ampla. Dizemos para procurar testes, isolar e rastrear contados, assim por diante. Verifique por si mesmo que os países em melhores situações seguiram esses direcionamentos. É fato”, disse, ao ser questionado sobre críticas de Bolsonaro.

Números

São Paulo segue como o epicentro da crise do novo coronavírus no Brasil. São 21.696 casos confirmados da doença, com 1.825 mortos, uma taxa de letalidade de 8,4%. Em seguida, vem o Rio de Janeiro, com 7.944 doentes e 677 mortos. Depois, Ceará (6.726 doentes e 390 mortos), Pernambuco (5.358 casos e 450 óbitos) e Amazonas (3.928 doentes e 320 mortos, a maioria em Manaus).

Curva epidemiológica do novo coronavírus no Brasil