Maquiado

Doria limita exames e promove redução artificial do coronavírus em São Paulo

Decisão de só verificar contágio em casos “graves” vai prejudicar conhecimento real do número de casos no estado e é baseada apenas em interesses financeiros, diz ex-ministro Alexandre Padilha

fotospublicas/webmedscience/governosp
Alexandre Padilha afirma que vai recorrer da decisão sobre exames de coronavírus baixada pelo governo de João Doria

São Paulo – O deputado federal e ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha (PT) criticou ontem (14) a decisão do governo do estado de São Paulo que, junto com o Ministério da Saúde, anunciou que a rede pública paulista vai deixar de realizar o exame para detecção do coronavírus em casos considerados “leves”. Para Padilha, o governo de João Doria (PSDB) pretende esconder a real gravidade da infecção no estado, prevista para entrar em expansão nos próximos dias.

“Essa é uma decisão incorreta do governo do estado e é muito grave isso acontecer exatamente na semana em que se iniciou a transmissão comunitária do coronavírus na cidade. Além de mexer na vida das pessoas, vai mexer nos dados porque não saberemos quantos casos confirmados com coronavírus, de fato, haverá”, disse o deputado, em áudio distribuído pelas redes sociais (ouça abaixo).

O anúncio foi feito na sexta-feira (13) pelo coordenador do Centro de Contingência para a doença, David Uip, em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, sede o governo estadual. “Nós só realizaremos exames nos pacientes que estão internados, nos indivíduos em clínica sentinela e em pesquisas. Isto é dar bom gasto ao dinheiro público”, defendeu Uip.

Em seu áudio, Padilha explica que, em caso de suspeita de infecção pelo coronavírus, a pessoa que se dirigir a uma unidade de saúde pública será orientada a se ausentar do trabalho, ficar em casa e buscar o isolamento preventivamente, tudo sem saber se realmente está com a doença. “Vamos buscar recorrer e reverter dessa decisão. É uma medida absurda de quem não quer investir mais recursos na saúde e que não quer registrar de fato a quantidade de casos e pretende fazer uma redução artificial de casos. Essa decisão não é técnica, não tem a ver com a área da saúde.”

Casos de coronavírus no país

Balanço mais recente do Ministério da Saúde informa que foram confirmados 121 casos de Covid-19, o novo coronavírus, no Brasil. Segundo o relatório, divulgado neste sábado (14), o país tem 1.496 casos suspeitos em 13 estados, além de 1.413 casos descartados. Não há registro de óbitos pela doença até o momento.

Os estados de São Paulo e Rio de Janeiro têm o maior número de casos confirmados: 65 e 22, respectivamente. Além disso, apenas esses dois estados continuam sendo os únicos em que foi localizada transmissão comunitária da infecção – quando não é mais possível identificar a trajetória do vírus.

SUS lança aplicativo sobre coronavírus

Para auxiliar na divulgação de informações corretas sobre a situação, o Sistema Único de Saúde (SUS) criou um aplicativo para celulares e tabletes gratuito e já disponível para a população, com versões para os sistemas operacionais iOS e Android.

A interface do aplicativo Coronavírus-SUS permite que o usuário veja as unidades básicas de saúde perto de sua localização, por meio de um mapa, e também apresenta dicas e notícias sobre o tema.

Ouça a crítica de Alexandre Padilha