São Paulo

Coronavírus: Covas não aplica restrições ao setor privado, apesar do aumento de casos

Capital paulista tem aumento de 50% nos casos de coronavírus por dia e prefeito decretar estado de emergência para aumentar controle de aglomerações

Secom
Bruno Covas anunciou noas medidas para conter o aumento de casos de infecção por coronavírus

São Paulo – O prefeito da capital paulista, Bruno Covas (PSDB), anunciou hoje (16) uma série de medidas para evitar o aumento do número de casos de contaminação por coronavírus. Segundo o prefeito, o número de casos na cidade tem aumentado entre 40% e 50% por dia e medidas para evitar aglomerações de pessoas vêm sendo tomadas.

O dado mais recente registra 152 casos no estado, a grande maioria na capital. No Brasil, são 234. Apesar disso, o prefeito não anunciou nenhuma medida para restringir o funcionamento do setor privado. Para efetivar a medida, o prefeito deve decretar estado de emergência amanhã (17).

“Nós estamos em contato com associações de diversos setores para já estudar medidas de maior restrição se for necessário”, afirmou o prefeito. Segundo Covas, as primeiras estimativas sugerem perda de arrecadação de impostos de R$ 1,5 bilhão por conta da epidemia de coronavírus.

Covas anunciou o fechamento por tempo indeterminado de centros culturais, esportivos e unidades da assistência social, exceto abrigos. Todos os eventos com potencial de aglomeração de pessoas estão proibidos.

A partir desta terça-feira (17), o rodízio municipal de veículos será suspenso, com o objetivo de reduzir a procura pelo transporte coletivo. Os ônibus serão lavados com água sanitária em todos os pontos finais, antes da próxima viagem.

Outras medidas para o transporte coletivo devem ser definidas amanhã, em reunião do governo paulista com prefeituras da região metropolitana de São Paulo.

Segundo Covas, os servidores com mais de 60 anos, imunodeprimidos, grávidas e pessoas em tratamento contra o câncer passarão a fazer trabalho remoto. Exceto os trabalhadores da saúde e da segurança pública, os quais também estão com férias e abonos suspensos.

As equipes que permanecerem em seus postos vão passar a trabalhar em dois turnos, para reduzir a convivência de pessoas nas unidades.

As escolas da rede municipal seguem em redução de aulas e ficarão fechadas a partir da próxima segunda-feira (23). Covas disse que está fazendo um levantamento de crianças em situação de vulnerabilidade social e meios de garantir a oferta de refeições a elas.

O prefeito afirmou que a cidade vai oferecer mais 210 leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) para atendimento de casos graves de coronavírus. As cirurgias eletivas foram suspensas, e a cidade deve ter um total de 420 leitos disponíveis para esse fim em até 20 dias. Covas reafirmou que pessoas com suspeitas de infecção por coronavírus devem procurar a unidade de saúde mais próxima de sua casa.