Home Saúde e Ciência Paulistanos esperam até cinco meses por consulta médica com especialista
São Paulo

Paulistanos esperam até cinco meses por consulta médica com especialista

Governo Covas não consegue cumprir promessa feita ainda na gestão Doria de reduzir o tempo de espera por consultas com especialista para dois meses
Publicado por Rodrigo Gomes, da RBA
16:07
Compartilhar:   
Rivaldo Gomes/Folhapress

Paulistanos sofrem meses até conseguir uma consulta com médico especialista na rede municipal de saúde

São Paulo – Dados da Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo revelam que o tempo de espera por uma consulta com especialista na rede de saúde da capital paulista voltou a subir. Apesar da promessa de o prazo seria de até 60 dias, feita ainda na gestão do ex-prefeito e atual governador, João Doria (PSDB), e mentida pelo atual prefeito, Bruno Covas (PSDB), os moradores do Itaim Paulista, na zona leste, chegam a ficar 148 dias – quase cinco meses – na fila de espera. Os moradores da região são os que mais sofrem com a demora, com prazo médio de 109 dias para conseguir uma consulta. Os bairros vizinhos de Itaquera e São Mateus têm prazos de 129 e 128 dias, respectivamente.

Em toda a cidade, o tempo médio de espera por uma consulta com especialista é de 85 dias. Em 2017, o prazo médio era de 73 dias. Os dados constam do boletim anual da Coordenação de Epidemiologia e Informação. A melhor situação é da região central, onde o tempo médio de espera é de 61 dias. Na zona oeste, são 66 dias, enquanto a sudeste tem prazo de 79 dias e a zona sul, de 88. A zona norte tem média de 85 dias, mas duas subprefeituras superam os 100 dias de espera: Freguesia do Ó/Brasilândia e Pirituba.

Para o presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de São Paulo (Sindsep), Sérgio Antiqueira, o aumento na espera por uma consulta com especialista está relacionado aos cortes orçamentários realizados pela gestão Covas. “Primeiro, há um desmonte feito com redução de orçamento. Eles fazem o orçamento, depois, no meio do ano, vão deliberando contingenciamentos. Com tanta demanda, com tanta necessidade de investimento em saúde, em educação e em outras áreas”, lamentou.

Terceirização

Outro problema destacado por Antiqueira é a falta de chamadas de aprovados em concursos públicos por determinação da área econômica, deixando as equipes com déficits graves, levando a maior demora por uma consulta com especialista. “Além disso, eles têm optado pelo processo de terceirização, entregando o atendimento, os serviços, para as organizações sociais de saúde (OSS). Que não tem fiscalização, a gente não sabe sequer se eles põe equipe mínimas pro atendimento”, criticou o presidente do Sindsep.

Já as consultas generalistas têm tempo médio de espera de 32 dias em toda a cidade. No entanto, há algumas discrepâncias entre as regiões. Enquanto a oeste tem o menor tempo médio de espera, 26 dias, na região sudeste a população aguarda quase dois meses por uma consulta com pediatra, ginecologista ou clínico geral: 49 dias. As regiões central (30), leste (28) e sul (27) estão dentro da média ideal de espera. Já a zona norte tem prazo de 32 dias.

O total de consultas realizadas na cidade de São Paulo também foi reduzido entre 2017 e 2018, nas gestões Doria e Covas. Em 2017 foram realizadas 34,6 milhões de consultas na rede municipal de saúde. No ano seguinte, foram 34,3 milhões. A maior redução foi nas consultas realizadas na Atenção Básica: de 15,3 milhões em 2017, para 14,5 milhões em 2018. Mas as consultas com especialistas também foram reduzidas: de 9,7 milhões para 9,5 milhões.