Home Saúde e Ciência Pediatras pedem aos candidatos mais atenção à infância e à adolescência
Eleições 2018

Pediatras pedem aos candidatos mais atenção à infância e à adolescência

Carta aos políticos que vão disputar cargos reivindica mais vacinas, creches e leitos hospitalares, além de melhoria do pré-natal, ampliação da licença maternidade e a valorização desses especialistas
Publicado por Redação RBA
12:31
Compartilhar:   
Arquivo/ABR
crianças e adolescentes.jpg

Para a SBP, é preciso garantir cidadania, inclusão, respeito, educação, saúde e proteção em todas as circunstâncias

São Paulo – A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) divulgou carta endereçada a todos os candidatos que deverão disputar cargos legislativos e executivos nas eleições de2018. Trata-se de uma agenda ampla que reivindica ações nas áreas de saúde, direitos humanos e sociais para os mais de 60 milhões de crianças e adolescentes brasileiros.

Segundo o documento, a infância e a adolescência merecem o máximo da atenção, tendo asseguradas estratégias e investimentos que garantam educação, segurança, alimentação, cultura, lazer, esporte e, sobretudo, bem-estar e saúde.

No campo da saúde, os pediatras reivindicam o saneamento de problemas de infraestrutura na rede de atendimento, com mais leitos, aparelhos, equipamentos, medicamentos e insumos, entre outros itens deficitários principalmente na rede pública, que trazem prejuízos à saúde e ao trabalho médico.

Querem investimentos para o fortalecimento do Programa Nacional de Imunização, que tem registrado queda na cobertura vacinal e tem como ameaça o ressurgimento de doenças erradicadas, como sarampo e poliomielite, entre outras.

E a oferta de consultas das gestantes com o pediatra durante o pré-natal, com ênfase na prevenção de doenças que podem prejudicar a saúde do bebê em gestação. O reforço da assistência deve incluir a presença desse especialista no parto.

As mães devem contar com todo o suporte para oferecer o leite materno aos seus filhos, o que inclui medidas como a ampliação do tempo de licença maternidade e paternidade. Além disso, devem ser criados núcleos de apoio nos ambientes de trabalho. Já a rede de saúde deve criar unidades em todas as maternidades para dar assistência às lactantes durante o período da amamentação. Há necessidade também de campanhas permanentes de orientação e estímulo ao aleitamento materno.

Educação

No campo dos direitos humanos e sociais, a SBP defende que todas as crianças e adolescentes devem ter direito ao ensino de qualidade, preferencialmente em período integral, em todas as fases do aprendizado. O currículo deve ser construído com conteúdos que permitam desenvolver conhecimentos inclusive para o pleno exercício da cidadania.

Nessa perspectiva, segundo a entidade, a escola deve ser prioridade das políticas públicas, com valorização dos professores e outros profissionais da área, com diretrizes de ensino definidas com ampla participação da sociedade, e os conteúdos devem contemplar temas contemporâneos, debatidos pela sociedade.

Os pediatras defendem acesso à creche em tempo integral, assegurado a todas as crianças como um direito à educação infantil. E o serviço tem de ser oferecido com infraestrutura necessária e com pessoal capacitado.

Clique aqui para acessar o documento na íntegra.