Home Saúde e Ciência Calamidade financeira afeta único hospital público da cidade de Mauá
Na Grande São Paulo

Calamidade financeira afeta único hospital público da cidade de Mauá

Denúncias de funcionários alertam para o cancelamento de cirurgias agendadas, falta de material e demissões. Desmonte é reflexo de crise decretada no início do mês pela Prefeitura
Publicado por Redação RBA
09:40
Compartilhar:   
TVT/Reprodução
Crise em Mauá

Para vereador Marcelo Oliveira (PT) crise reflete altos valores contratuais e no pagamento de comissionados pela Prefeitura

São Paulo – O Hospital Nardini, única unidade pública da cidade de Mauá, no ABC Paulista, passa por uma grave crise com cancelamento de cirurgias agendadas por falta de material e demissão de funcionários. No dia (6) deste mês, a Prefeitura decretou estado de calamidade financeira e o hospital foi um dos serviços mais afetados, o que trouxe impactos diretos para moradores da região e trabalhadores demitidos.

De acordo com denúncias feitas por pacientes e funcionários ao Seu Jornal da TVT, a unidade de saúde administrada pela Fundação do ABC, não tem prestado atendimento adequado aos usuários, cancelou cirurgias e exames de rotina agendados alegando falta de material, apresenta pouca oferta de medicamentos e demitiu mais de 120 funcionários. “Está faltando material cirúrgico, medicação, o setor de ortopedia está parado, e estamos há mais de um mês levando alguns pacientes para um hospital privado”, queixou-se um conselheiro de saúde da cidade, que não quis ser identificado.

No início deste mês, a administração municipal sob a gestão de Atila Jacomussi (PSB), decretou estado de calamidade financeira, argumentando que a cidade de Mauá está endividada e que a arrecadação não tem sido suficiente para cobrir despesas obrigatórias, programas e ações do governo.

Para o vereador Marcelo Oliveira (PT), a crise é um reflexo dos altos valores contratuais assinados pela Prefeitura, que são criticados desde o ano passado na Câmara Municipal. “Precisamos ter um pacto para tirar a cidade desse buraco criado pelo governo atual, que gastou muito. Nós sempre avisamos que tinha que gastar menos, reduzir contratos e comissionados na cidade”, afirma Oliveira.

Em nota, a Prefeitura de Mauá afirma que o atendimento à população está sendo realizado em toda a rede de saúde, assim como nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da cidade.

Assista à reportagem completa: