Você está aqui: Página Inicial / Revista do Brasil / Edição 31 / Outros tempos
Número 31, Janeiro 2009

Curta essa dica

Outros tempos

por Redação publicado , última modificação 22/01/2018 11h48
divulgação
outros tempos

Nos anos 1950, Miguel (Caco Ciocler) e Jorge (Flávio Bauraqui) têm laços de infância. O pai de Miguel é jornalista, boêmio, amante da cultura negra e amigo do pai de Jorge, compositor de sambas no morro carioca. Durante a ditadura, Miguel é líder da ala dos presos políticos na Ilha Grande; Jorge, da ala dos assaltantes que criará o Comando Vermelho. No futuro, o deputado Miguel procura no amigo, preso e líder do tráfico, apoio para projeto social na favela. E a filha de Miguel conhece o braço de Jorge no morro. Quase Dois Irmãos (2004, disponível em DVD), de Lúcia Murat, descreve com componentes de classe, raciais, políticos, culturais e psicológicos, importantes capítulos da formação e das contradições da sociedade brasileira. Com participação de Luiz Melodia, Maria Flor e Marieta Severo.

Condutor

Original e cheio de ritmo, o primeiro álbum-solo do MC Kamau, Non Ducor Duco, em bom português “não sou conduzido, conduzo”, é uma grata surpresa para quem acha que o cenário do rap andava meio sem graça. O autor, skatista formado em Matemática que ganha a vida narrando campeonatos de skate, já foi integrante do projeto Academia Brasileira de Rima. E acertou a mão, na produção e no repertório, indo muito além da temática violência e chegando com inteligência até a África. À venda nas galerias do Rock e Presidente, em São Paulo. Pedidos também pelo [email protected]

Revolucionária

Leila Diniz Uma Revolução na Praia (Cia. das Letras, 312 pág.) é a biografia da atriz que provocou os militares e, sem discursos nem palavras de ordem, fundiu a cabeça das feministas, da esquerda e da direita, em sua curta trajetória. O jornalista Joaquim Ferreira dos Santos apresenta a espontaneidade e a alegria daquela que criou um novo paradigma para a mulher na sociedade brasileira. Nas palavras de Drummond, ela, “sem discurso nem requerimento, soltou as mulheres de 20 anos presas ao tronco de uma especial escravidão”. R$ 39.

Das ruas às galerias

Otávio e Gustavo Pandolfo começaram pintando as paredes da casa dos pais, em São Paulo. Expandiram sua arte para os muros da cidade e viraram Osgemeos. Os grafiteiros reconhecidos internacionalmente estão até 1º de fevereiro no Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba (PR). Pinturas coloridas, personagens vermelhos e amarelos em painéis de 1,5 metro, cenas fantásticas, além de duas esculturas e a instalação interativa Os Músicos fazem parte da exposição Vertigem ‐ Osgemeos. De terça a domingo, das 10h às 18h. R$ 4 e R$ 2. Rua Marechal Hermes, 999, Curitiba (PR).

Alerta

Peninha é um passarinho amarelo bem pequeno que está em extinção. Sua história e a de sua família é uma mensagem de alerta para as crianças sobre as consequências do desmatamento. O livro Extinção, de Ademir Moreno Aguilar, com ilustração de Cláudio Martins, é um dos vencedores do 4º Concurso de Contos Infantis As Crianças do Mercosul, publicado pela editora argentina Comunicarte em português e espanhol. R$ 24,90. Disponível em www.surlivro.com.br

Baleiro musical

Um grupo de amigos compositores independentes transformou saraus informais em um CD saboroso e no selo-cooperativa Abacateiro. A estreia, com Doces Cariocas, só tem canções próprias, com gostinho de Clube da Esquina, Novos Baianos e Doces Bárbaros juntos e modernos. Pierre Aderne, Alexia Bomtempo, Marcelo Costa Santos, Domenico e Alvinho Lancelotti, Simoninha, Luis Carlinhos, Rogê, Silvia Machete, Ingrid Vieira e os instrumentistas Felipe Pinaud, Dadi, Mauro Refosco, Rafa Nunes, Lancaster e Pretinho da Serrinha fazem uma deliciosa mistura, da bossa nova aos batuques nordestinos. R$ 22, em média.

Literatura da quebrada

A Editora Global lançou uma coleção que traz à luz pérolas da produção originada em torno da Cooperativa Cultural da Periferia, a Cooperifa, que organiza semanalmente há sete anos um sarau para celebrar e promover o livre acesso à arte. Literatura Periférica tem quatro publicações: Colecionador de Pedras, de Sérgio Vaz, poeta, agitador cultural, criador da Cooperifa e do sarau; Da Cabula Istória pa Tiatru, de Allan Rosa, que apresenta o drama cotidiano de uma analfabeta apaixonada por cinema que chacoalha nos ônibus sem ao menos saber para onde está sendo levada; a segunda edição mais recheada de 85 Letras e Um Disparo, livro de contos de Ademiro Alves, o Sacolinha; Guerreira, de Alessandro Buzo, trama vertiginosa de Rose, que começa como namorada de um bandido e vira mulher de um rapaz rico. Está no prelo De Passagem Mas Não a Passeio, de Dinha. “Tudo sem pompas na língua. Sem papas no verbo”, como diz Vaz. Legítima produção literária visceral e contundente, cheia de ódio às misérias, mas também de espera a, amor e solidariedade. De R$ 21 a R$ 29.

registrado em: