Você está aqui: Página Inicial / Revista do Brasil / Edição 30 / Querido Papai Noel
Número 30, Dezembro 2008

natal

Querido Papai Noel

“Estou escrevendo esta cartinha porque eu gostaria de ganhar uma boneca, mas os meus pais não têm condições” Lariza, 7 anos
por Esmeralda Ortiz publicado , última modificação 09/01/2018 11h39
“Estou escrevendo esta cartinha porque eu gostaria de ganhar uma boneca, mas os meus pais não têm condições” Lariza, 7 anos
regina de grammont
noel

Papai Noel dos Correios 30 mil cartas adotadas em 2007

O Papai Noel dos Correios recebe milhares de cartinhas como essa, nas quais crianças fazem desde pedidos habituais, como boneca, carrinho, computador, a inesperados, como tartaruga, dentadura para a avó, advogado para tirar o pai da cadeia. O programa nasceu em 1994, inspirado em ações isoladas desse tipo feitas por funcionários voluntários da companhia.

No ano passado, 30 mil cartas foram “adotadas”, 10% delas pelos empregados. O programa marcou a vida de muita gente. A encarregada de limpeza Ana Maria, de 42 anos, assistiu a uma reportagem na TV sobre a campanha e seu filho escreveu no ano passado uma cartinha pedindo um tênis. Não conseguia conter a felicidade ao ver o caminhão do Sedex chegando em sua casa com o presente.

Simone Araújo, de 38 anos, auxiliar de limpeza, deixou para mandar sua cartinha no último dia da campanha. Pedia fraldas e leite para a sua vizinha, que tinha acabado de ganhar um casal de gêmeos e estava em dificuldades. A vizinha se emocionou com a iniciativa da amiga quando se surpreendeu com a chegada dos presentes.

Ercília Falcone Fonseca, de 69 anos e 48 de Correios, uma das funcionárias mais antigas da empresa, adotou várias cartinhas e fez uma campanha com a família e amigos arrecadando brinquedos, roupas e balas para mandar para as crianças. Sua colega de companhia, Rosemary Hasenfratz Alves, de 55 anos, além de adotar cartinhas, acabou criando laços com as crianças. Quando vai viajar no período de festas, leva junto as donas das cartinhas.

Como pedir
O programa Papai Noel dos Correios deste ano foi aberto em 17 de novembro. As cartas devem ser enviadas para que cheguem até o dia 15 de dezembro aos pontos de leitura. Basta caprichar no pedido e mandar para o destinatário Papai Noel. Os funcionários selecionam as cartas, desconsideram as que estão sem remetente e as com remetente repetido. As cartas enviadas por adultos são separadas e analisadas. As enviadas por crianças até 12 anos são cadastradas e recebem resposta. Em seguida, são separadas por tipo de presente solicitado e ficam disponíveis para leitura e eventual adoção nos pontos de leitura.

Como atender
Os voluntários podem se dirigir a um dos vários pontos de leitura de cartas, conhecer os pedidos e escolher um para adotar. O presente deve ser embalado em papel pardo, com o destinatário devidamente identificado, e entregue no mesmo ponto de leitura até o dia 15 de dezembro. O programa atende no país todo e tem uma central de informações. Nas capitais e regiões metropolitanas, o voluntário pode saber onde há um ponto de leitura mais próximo de casa ou do local de trabalho pelo telefone 3003-0100. Nas outras localidades, pelo 0800-725-7282. Mais informações sobre o programa em www.correios.com.br.

registrado em: