Curta essa dica

Para não esquecer

O livro Pela Democracia, contra o Arbítrio − A Oposição Democrática, do Golpe de 1964 à Campanha das Diretas Já (Fundação Perseu Abramo, 480 páginas) traz 137 depoimentos sobre o […]

capa dicas

O livro Pela Democracia, contra o Arbítrio − A Oposição Democrática, do Golpe de 1964 à Campanha das Diretas Já (Fundação Perseu Abramo, 480 páginas) traz 137 depoimentos sobre o período da ditadura militar. Entre os autores estão Celso Furtado, Mino Carta, Lula, Franco Montoro, Juca Kfouri, Paulo Freire, Sócrates, Paulo Evaristo Arns, Ricardo Kotscho, Zuenir Ventura, Sérgio Mamberti, Henry Sobel, José Mindlin, Tom Zé. R$ 60.

Lições de amor e integridade

O cinema tem criado abordagens cada vez mais diversas sobre os anos de chumbo no Brasil. Zuzu Angel (2006), de Sérgio Resende, é um símbolo dessa fase. Ambientada na ditadura, a história mergulha na vida da estilista (Patrícia Pilar) cuja carreira dá um salto no mesmo momento em que seu filho Stuart (Daniel de Oliveira, de Cazuza) ingressa na luta armada e acaba preso, torturado e morto. A luta de Zuzu em busca do filho, mais que história de amor materno implacável, é uma comovente lição de integridade, dignidade e humanismo. O DVD chegou às locadoras, mas vale a pena ter na estante. De R$ 44 a R$ 50.

Prodígio do jazz

O sangue novo do jazz britânico, Jamie Cullum, canta e toca de maneira espantosa. Bate e anda em cima no piano, toca pisando e não pára sentado. À sua maneira, tenta atrair a atenção dos jovens para esse estilo musical. Cullum despontou há quatro anos, aos 23, com o álbum Pointless Nostalgic. Em 2005, com Catching Tales, ganhou o Grammy e foi contratado pela Verve, conceituada gravadora de jazz. Agora, o DVD Jamie Cullum – Live at Blenheim Palace traz a energia vibrante de um jovem que começa a dar um movimento diferente de tudo o que tem sido visto no cenário jazzístico. De R$ 36 a R$ 66.

Coleção de clássicos

A coleção Clássicos Saraiva traz ao final de cada obra, em versão integral, textos de apoio sobre linguagem, estilo, contextualização histórica e uma inusitada entrevista fictícia com o escritor. Compõem a coleção da Editora Saraiva as obras Dom Casmurro (Machado de Assis), Iracema (José de Alencar), Memórias de um Sargento de Milícias (Manuel Antônio de Almeida), O Coronel Chabert (Honoré de Balzac), O Primo Basílio (Eça de Queirós) e Assassinatos na Rua Morgue e Outras Histórias (Edgar Allan Poe). De R$ 14,80 a R$ 18,90.

Século da arte

O maior colecionador privado do Brasil, Gilberto Chateaubriand, apresenta 175 de suas quase 7 mil obras no Museu Oscar Niemeyer, até 3 de março. Fazem parte da exposição os principais desdobramentos da produção artística nacional, desde a segunda década do século passado até as propostas mais recentes: Modernismo, Construtivismo e Abstracionismo, Imagem Contemporânea e o Experimentalismo e seus Desdobramentos, dos anos 90 até a atualidade. Rua Marechal Hermes, 999, Centro Cívico, Curitiba (PR), tel. (41) 3350-4400. Terça a domingo, das 10h às 18h. R$ 4 e R$ 2 (estudantes).

Rui Barbosa para todos

A Fundação Casa de Rui Barbosa lançou um espaço virtual para a criançada. De forma didática, pedagógica e com um visual pra lá de colorido, são disponibilizadas informações sobre o escritor e a história do primeiro museu-casa do Brasil e sua famosa biblioteca, que ficam no bairro de Botafogo, no Rio de Janeiro. Tem um link voltado para professores, outro para alunos e até uma simulação de visita conduzida por Baby, a filha caçula do escritor. Além do aprendizado, há games e passatempos que podem ajudar na hora do dever de casa. www.casaruibarbosa.gov.br/paracriancas

Direto da periferia

Paulistano da zona leste, Edvaldo Santana está lançando seu quinto CD. Reserva de Alegria conta com participação especial de Chico César, Happin Hood, Thaíde e Bocato, em músicas que evidenciam o clima do local de onde ele veio: a periferia. Destaque para Chacina, parceria com Arnaldo Antunes e texto na voz de Thaíde, letra forte que mostra a realidade que “não deu na TV, nem deu no jornal/ Não foi pra cadeia, nem pro hospital/ Não teve caixão, não teve funeral/ E tem muita gente que acha normal”. Saiba onde comprar em www.tratore.com.br. De R$ 17 a R$ 24.

Música livre

Os Pontos de Cultura, programa do Ministério da Cultura, compuseram uma vasta rede de apoio a um conjunto de ações de comunidades de todo o país. Dessa iniciativa surgiu o CD virtual Música de Ponto, com 20 músicas criadas durante oficinas de Cultura Digital realizadas entre 2005 e 2006. As faixas foram feitas em software livre – programa que pode ser executado, copiado, distribuído e modificado com total liberdade. As músicas estão disponíveis na página www.estudiolivre.org.

Rock elétrico

Som pesado e rápido, o primeiro CD da banda Aquelezuns é para quem curte música eletrônica e rock contemporâneo. Aquelezuns foi buscar influências em Kraftwerk, Björk, Living Colour, Queen, Orishas, Lokua Kanza, Moloko, System of a Down, Angelique Kidjo, U2, Led Zeppelin, Jethro Tull, entre outros. O resultado da mistura improvável é o eletro-rock. O carro-chefe do álbum é Cada Vez Mais, mas preste atenção também em Lugar Nenhum, que traz até algum sotaque dos mineiros do Clube da Esquina. O CD pode ser comprado por telefone (11) 4421-0797. R$ 25 (mais postagem).