Home Revista do Brasil Festival para rever e ouvir
Curta essa dica

Festival para rever e ouvir

Para ler, ver, ouvir, assistir e curtir. As dicas da edição 3
Publicado por
12:25
Compartilhar:   
capadicas

Ouça os clássicos da MPB e da célebre geração de compositores dos anos 60 enquanto lê as histórias dos festivais, época em que a música brasileira era alvo de paixões mais do que inflamadas. O livro A Era dos Festivais – Uma Parábola (Editora 34, 528 páginas), de Zuza Homem de Mello, e o CD homônimo, com 28 sucessos selecionados pelo musicólogo, trazem de volta o ambiente  cultural brasileiro de 1960 a 1972. Na internet, de R$ 38 a R$ 58 (livro) e R$ 29 a R$ 40 (CD).

Sonhos domésticos

O aplaudido diretor de cinema Fernando Meirelles, de Cidade de Deus e O Jardineiro Fiel, fez em 2001, ao lado de Nando Olival, Domésticas, O Filme, história de cinco mulheres, todas elas empregadas domésticas. Cida, Roxane, Quitéria, Raimunda e Créo alimentam, cada uma, um sonho diferente. Todas querem, mesmo, é mudar de vida. O filme, ousado e bem-humorado, mostra com seriedade a realidade dessas guerreiras. Pode ser locado ou adquirido (R$ 35 a R$ 42).

A volta do Pasquim

A Editora Desiderata lançou o livro O Pasquim: Antologia Volume 1 1969-1971, 352 páginas, com a seleção do melhor das 150 primeiras edições do jornal e altas doses de um humor corajoso, crítico e anárquico com que Millôr Fernandes, Ziraldo, Henfil, Claudius, Paulo Francis, Tarso de Castro, Sérgio Cabral, Ivan Lessa, Luiz Carlos Maciel, Sérgio Augusto e Jaguar fizeram história. Criado em 1969, auge da ditadura e da censura, O Pasquim tinha colaboradores como os Chicos Anysio e Buarque, Carlos Heitor Cony e Vinicius de Moraes. Organizado por Jaguar e Sérgio Augusto, fundadores do Pasquim, a antologia dá uma mostra de como o jornalismo independente cutucava com vara curta os donos do poder naquela época. A antologia deve ter ainda mais três volumes (R$ 48 a R$ 69).

A boa e velha Bossa

O disco Getz/Gilberto, gravado por João Gilberto e Stan Getz (1964),  foi relançado em CD. O LP vendeu mais de um milhão de cópias e ganhou seis prêmios Grammy. Entre as dez faixas estão sucessos como Desafinado, Para Machucar Meu Coração, Só Danço Samba, Corcovado, e a versão em inglês de Garota de Ipanema. R$ 33 a R$ 42.

Fotos revolucionárias

O líder cubano Fidel Castro completa 80 anos de idade em 13 de agosto e o Senac São Paulo apresenta mostra com uma seleção inédita de imagens dos primeiros anos da Revolução, de 1959 a 1969. A exposição A Épica Revolucionária Cubana estará na Galeria do Senac Lapa Scipião (Rua Scipião, 67, Lapa, São Paulo, tel.: 11-3866-2500) até 18 de agosto e a entrada é franca. Serão exibidas 69 imagens em preto-e-branco de oito expoentes da fotografia do período, entre eles Alberto Díaz (Korda), Raúl Corral Corrales, Oswaldo Salas e Roberto Salas. A famosa foto de Che Guevara, O Guerrilheiro Heróico, tirada em 1960 por Korda, está lá. 

O que aconteceu com Bambi?

Criado em 1942, o clássico desenho animado de Walt Disney Bambi levou às lágrimas muitas crianças, e adultos, ao longo desses 64 anos. A história do nascimento de um filhote de cervo, filho do grande príncipe da floresta, e suas estripulias durante a infância ao lado de Tambor e Flor, termina com a trágica morte da mãe do pequeno Bambi. As últimas cenas mostram o cervo já adulto, cuidando de sua própria família. Agora, já é possível saber como foi a adolescência de Bambi, como ele venceu a tristeza de ter perdido sua mãe tão cedo e como foi ser criado por um pai que ele mal conhecia. Tudo isso está em Bambi 2 – O Grande Príncipe da Floresta, que pode ser visto em DVD distribuído pela Buena Vista. O filme já está nas locadoras. Para comprar, o preço médio é de R$ 49.

A arte do trabalho

A exposição fotográfica Trabalho e Trabalhadores no Brasil mostra 150 fotos de fotógrafos como Marc Ferrez, Marcel Gautherot, Juca Martins, Peter Lange, Nair Bendicto, João Ripper e outros. É a maior exposição fotográfica sobre o tema já apresentada no país. Já esteve em seis capitais e até 14 de agosto estará em Fortaleza, no Centro Cultural Dragão do Mar. Depois, fica até 10 de setembro no Museu de Artes de Belém. Em seguida, vai a Porto Alegre, até 22 de setembro, na Usina do Gasômetro. As imagens traçam um rico panorama da experiência do trabalho na sociedade brasileira e integram o Programa Memória do Trabalho, como parte das comemorações dos 120 anos do Primeiro de Maio, celebrados este ano. A organização é do Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil da FGV-RJ, Ministério do Trabalho e Petrobras.

registrado em: , , , ,