Cana: a modernização é doce, mas o trabalho é amargo

De contrastes e injustiças que persistem no campo a preciosidades do samba, do cinema e da literatura, passando pelo mercado de trabalho na China

null

null

O contraste entre a modernização do cultivo de cana-de-açúcar e as más condições de trabalho e de vida proporcionadas aos trabalhadores do setor é um dos destaques da Revista do Brasil de maio.

A edição traz também artigo do experiente analista Wladimir Pomar, autor de quatro livros a respeito da história e da realidade chinesas. Pomar desmonta o mito de que o mercado de trabalho chinês possa servir de modelo para quem pensa em desregulamentação e precarização das relações de trabalho para tornar um país competitivo.

Você vai conhecer um estudo elaborado pelo pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e pela ONG Fase que mapeia cerca de 300 episódios de conflitos regionais decorrentes de ações agressivas ao meio e à saúde das comunidades. O bispo emérito de Goiás, dom Tomás Balduíno, incansável militante de 88 anos, comenta em entrevista as causas desse mapa de injustiças e fala de sua atuação junto a populações tradicionais brasileiras.

Reportagem tenta entender e explicar a febre dos adesivos de família feliz que estampam as traseiras dos automóveis, o que há de motivação, graça, exageros e até de riscos nessa mania.

Dois importantes documentaristas, João Jardim e Jorge Wolney Jr., têm seus novos trabalhos analisados. Saiba também sobre as novidades da Cinemateca Brasileira na preservação de obras de Glauber Rocha à velha Atlândida, passando pelo nostálgico Canal 100.

Também nesta edição, o pesquisador musical Carlos Monte, pai da cantora Marisa Monte, revela sua estreitíssima ligação com a música carioca de raiz, a Portela e sua tradicional velha guarda. Os segredos do queijo mineiro. E a paixão que faz do editor Abimael Silva e de seu Sebo Vermelho, em Natal, personagens singulares da paisagem literária da capital potiguar.