AOS FATOS

Renan Calheiros, relator da CPI da Covid, está no ‘Entre Vistas’ com Juca Kfouri. Assista aqui

Parlamentar faz balanço da primeira semana da CPI, e fala da expectativa do depoimento de Pazuello, que evitou convocação e vai depor no dia 19

Jefferson Rudy / Ag. Senado
Calheiros: 'gabinete das sombras' atua no governo para a condução das ações contra a pandemia

São Paulo – Relator da CPI da Covid, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) estará no programa Entre Vistas, da TVT, na noite desta quinta-feira (6), às 21h30, com o jornalista Juca Kfouri. O senador faz um balanço da primeira semana de atuação da CPI, que recebeu os ex-ministros Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich em seus depoimentos iniciais.

Um dos destaques do depoimento de Mandetta foi a afirmação de que o governo Bolsonaro era aconselhado por uma espécie de gabinete paralelo, que concorria com o Ministério da Saúde, na condução das ações da pandemia. Esse gabinete era formado por filhos do presidente, assessores e médicos e, segundo Mandetta, chegou a propor a alteração da bula da cloroquina, por meio de decreto, para que o medicamento fosse aceito como tratamento precoce da covid-19.

“Estes primeiros depoimentos deixam clara a existência de um ministério paralelo da saúde, um poder paraestatal, um gabinete das sombras, desconhecido, que não apenas aconselha, assessora, mas produz documentos, como a tentativa de burla na bula da cloroquina”, afirmou o relator da CPI da Covid ao G1. “Nenhum dos dois ministros tomaram conhecimento para o aumento da produção de cloroquina, isso foi ao arrepio do Ministério da Saúde”, disse ainda Renan.

Banner do programa Entre Vistas desta quinta-feira: senador faz um balanço da primeira semana de trabalhos da CPI da Covid / Reprodução

Calheiros está preocupado em fazer uma atuação “técnica” na CPI da Covid para que haja conhecimento da verdade e o resultado da comissão seja um consenso suprapartidário. No sábado (1°), antes dos primeiros depoimentos da CPI, ele escreveu em sua conta no Twitter: “A relatoria de uma CPI é originada em critérios partidários e de proporcionalidade, mas ela transcende as legendas. Indicado pelo MDB e consubstanciado pelo STF, o relator é de todos os partidos. Até porque a investigação não será político-partidária, mas técnica”.

As pressões do governo para a utilização da cloroquina também foram determinantes par a saída do ex-ministro Nelson Teich da pasta da Saúde, cargo que ocupou por 29 dias apenas, sem conseguir apoio do governo para as medidas necessárias de enfrentamento da pandemia.

A CPI recebe nesta quinta-feira o atual titular da pasta, Marcelo Queiroga, e o diretor-presidente da Agência de Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antonio Barra Torres, às 14h.

Marcelo Queiroga está à frente do Ministério da Saúde desde 23 de março deste ano. O médico cardiologista assumiu o cargo no pior momento da pandemia no país, quando se somavam cerca de 300 mil mortes no Brasil decorrentes da covid-19.

Com informações da TVT, G1 e Agência Senado

Leia também