CPI DA COVID

‘Capitã Cloroquina’, Mayra Pinheiro será questionada sobre ações em Manaus, promete senador

Secretária no Ministério da Saúde teve direito ao silêncio concedido pelo STF

Anderson Riedel/PR
Direito ao silêncio foi dado após Mayra Pinheiro ser uma das investigadas no inquérito do Ministério Público Federal, que apura a falta de oxigênio e difusão do tratamento precoce contra a Covid em Manaus

São Paulo – A Secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, será a depoente na CPI da Covid nesta terça-feira (25). O senador Humberto Costa (PT-PE) promete questionamentos sobre as ações e omissões do governo federal durante a crise sanitária de Manaus.

Chamada de “Capitã Cloroquina“, Mayra ficou conhecida por defender o uso do “Kit Covid”, que inclui remédios sem eficácia contra o coronavírus e ainda oferecem riscos. Na última sexta-feira (21), o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu o direito para que ela permaneça calada sobre assuntos que envolvem Manaus.

O direito ao silêncio foi dado após Mayra Pinheiro se tornar uma das investigadas em inquérito do Ministério Público Federal que apura a falta de oxigênio e difusão do tratamento precoce contra a Covid em Manaus. Outras seis pessoas também são investigadas, incluindo o ex-ministro Eduardo Pazuello.

À Rádio Brasil Atual, Humberto Costa afirmou nesta segunda-feira (24) que apesar da decisão do STF a CPI buscará a apuração sobre o tema. “Vamos questionar sobre os médicos que a acompanhavam nas idas a Manaus, a imposição dela para que Unidades Básicas de Saúde (UBS) utilizassem cloroquina. A população de Manaus foi usada de experimento pelo governador Wilson Lima e o presidente Jair Bolsonaro. O depoimento dela é importante“, afirmou.

Pazuello na CPI da Covid

O general e ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, também deverá ser revonvocado à prestar depoimento na CPI da Covid. O presidente da comissão no Senado, Omar Aziz (PSD-AM), disse que já foi apresentado um requerimento e será votado na próxima quarta-feira (26).

No último domingo (23), Pazuello esteve presente na manifestação em defesa de Bolsonaro, no Rio de Janeiro. Diante disso, na avaliação de Humberto Costa, a reconvocação se torna ainda mais importante. “Ele terá que voltar a depor. Desde o primeiro dia, nós identificamos muitas mentiras e omissões. Porém, o mais grave foi participar dessa manifestação depois de dizer que era favorável às medidas de distanciamento social e uso de máscara”, defendeu o senador.

Entretanto, o petista acredita que outras pessoas precisam ser ouvidas antes de Pazuello para encorpar os questionamentos contra o ex-ministro. Ele também defende que o atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, também seja convocado de novo.”Haverá novos depoimentos, inclusive de pessoas do Ministério da Saúde que participaram de diversos processos. Portanto, é melhor esperarmos um pouco para trazê-lo de volta à CPI. Assim como o atual ministro, Marcelo Queiroga, que também mentiu. Basta vermos o controle da pandemia se complicando e a doutora, que coordenaria um grupo de trabalho, saiu em menos de uma semana.”

Bolsonaro se aglomera novamente

O presidente Jair Bolsonaro voltou a se aglomerar, sem máscara, com centenas de apoiadores, na capital carioca. Com o país perto de registrar 450 mil mortes por covid-19, o mandatário da República desfilou de moto com outros motociclistas e ainda participou de uma manifestação.

Costa classifica a ação como “criminosa” por parte do presidente da República. “Dessa vez, até pior, pois usou a estrutura do Estado para garantir a sua segurança, mas que não era um evento oficial, era político. Ele está acuado diante das denúncias contra seu governo e, desesperado, chamou uma manifestação pequena, mas ainda barulhenta”, criticou.


Leia também


Últimas notícias