Um basta ao Senado

Associação Brasileira de Imprensa cobra Rodrigo Pacheco por CPI da pandemia

ABI aponta que nunca vivemos momentos de tanto horror, desmandos, omissões, incompetência e desrespeitos à vida em pedido de CPI da pandemia

Isac Nóbrega/PR
Bolsonaro tem disfarçado o discurso negacionista, mas não age de fato contra a pandemia, mantendo também a austeridade fiscal da política econômica de Paulo Guedes

São Paulo – A Associação Brasileira de Imprensa (ABI) cobrou esta semana que o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM), dê encaminhamento ao pedido de criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar as responsabilidades pelo caos no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus no Brasil. Para a ABI, o governo Bolsonaro, que deveria estar no comando, “se omite despudoradamente”. E prossegue: “Os que insistem em medidas mais drásticas no combate ao vírus são ameaçados com o estado de sítio. Preocupa-nos a instabilidade institucional que começa a tomar conta da nação”, diz a entidade.

“Nunca vivemos momentos de tanto horror, desmandos, omissões, incompetência e desrespeitos à vida como o que estamos experimentando nos últimos dois anos. A pandemia já matou 300 mil brasileiros. As previsões são de que esta estatística macabra duplique num curto espaço de tempo. Em muitas regiões do País, o pânico começa a predominar. Faltam leitos, remédios, oxigênio, profissionais de medicina, vacinas e o mais determinante: comida na mesa dos brasileiros de menor poder aquisitivo”, argumenta a ABI, lembrando que, além do pedido de CPI da Pandemia, já protocolou um pedido de impeachment de Bolsonaro, feito ainda no ano passado.

CPI já

“Naquela época, o número total de mortos pela Covid 19 em todo o País ainda era de 2.500 pessoas. De lá para cá, tudo piorou. Hoje, 2.500 é quase o mesmo número de mortes registradas, no espaço de 24 horas. O presidente da Câmara Federal, na época, Deputado Rodrigo Maia, (DEM-RJ) optou por engavetar o pedido da ABI e os outros 62 que lá aportaram. Interesses políticos predominaram sobre a necessidade de preservar vidas e encontrar um caminho para conter o avanço da praga. Tal decisão foi regiamente paga com vidas de inocentes”, critica a associação.

O requerimento pela criação da CPI da pandemia foi feito em 15 de janeiro. Até agora, Pacheco não tomou qualquer providência. “Não há como empurrar 300 mil ou 600 mil cadáveres para debaixo do tapete. Não há como se agarrar a procedimentos regimentais do Congresso para justificar a paralisa do parlamento. Há um verdadeiro clamor nacional para apurar responsabilidades sobre o genocídio que vem assolando a população brasileira”, defende a ABI.