Entrevista

Lula: ‘Guerra é guerra. Você não fica subordinado aos interesses do mercado’

Em entrevista ao Brasil 247, ex-presidente diz que situação do país na pandemia deveria estar acima das preocupações do governo com ajuste fiscal e desvinculação de receitas da saúde e educação

Ricardo Stuckert / Instituto Lula
Lula: “Se eu fosse presidente deste país eu aumentava a base monetária e pegava R$ 500 bilhões para investir em obras de infraestrutura e criar empregos”

São Paulo – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quarta-feira (24) que a subserviência do governo de Jair Bolsonaro ao ajuste fiscal e aos interesses do mercado não condiz com a gravidade do momento que o país está passando com o acirramento da pandemia. Para garantir a retomada do auxílio emergencial, o governo Bolsonaro propõe a desvinculação das receitas mínimas constitucionais nas áreas de saúde e educação como forma de compensação.

“Se eu fosse presidente deste país, aumentava a base monetária e pegava R$ 500 bilhões para investir em obras de infraestrutura e criar empregos”, disse o ex-presidente. Nesse cenário, ele destacou também que cuidaria da saúde da população frente à pandemia, situação que comparou à de uma guerra. “Guerra é guerra, você não fica subordinado aos interesses do mercado, porra, tudo isso é resolvido depois”, disse Lula, em crítica ao governo Bolsonaro.

Lula concedeu entrevista na manhã desta quarta-feira ao portal de notícias Brasil 247. O ex-presidente tratou de diversos temas, e não poupou de críticas o governo Bolsonaro em nenhum deles. “O Brasil pode ser grande. É só querer. Quem pensa grande fica grande,  quem pensa pequeno fica igual o Bolsonaro. O Brasil está ilhado, desmoralizado. Durante esse governo não teve um presidente interessado em visitar nosso país. Fora que ninguém convida o Bolsonaro”, disparou.

Sobre a Petrobras, que passa por um processo de troca da presidência da empresa, Lula disse que a garantia que a petroleira estatal representava para o futuro está sendo desmantelada.

“Nós acreditávamos que a Petrobras seria um passaporte para o futuro. E eles assenhoraram da Petrobras para obedecer aos acionistas de Nova York. A Petrobras virou exportadora de óleo cru e importadora de derivados. Subordinaram ela ao mercado internacional”, afirmou.

“A gasolina já aumentou 34% e o diesel 27% só em 2021. Não há sistema de transporte que suporte isso. E isso tem uma relação direta no aumento dos alimentos. Da batata, do tomate, do arroz… As pessoas vão no mercado e sentem. O golpe foi feito pra isso”, disse ainda o ex-presidente.

“A verdade é que esse governo quer que o povo se dane. O povo que precisa comprar arroz que se dane. O povo que precisa comprar comida que se dane. Está chegando a hora dos partidos de esquerda darem um basta nisso. Temos que brigar cada vez mais”, afirmou ainda Lula.

Confira a entrevista