Corrida

Governadores pressionam Pazuello, que antecipa início da vacinação

“Acho que podemos começar hoje até o fim do expediente, a partir das 17h”, declarou o ministro

Divulgação
Governadores anunciaram que vacinação deve começar assim que as doses chegarem aos estados

São Paulo – O ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, foi pressionado por governadores a antecipar o calendário de vacinação contra o novo coronavírus. Eles estiveram em São Paulo junto com o ministro, nesta segunda-feira (18), para marcar a distribuição simbólica dos lotes da vacina coronavac aos estados. O evento ocorreu no Centro de Distribuição Logística do Ministério da Saúde, em Guarulhos, na Grande São Paulo.

“Acho que podemos começar hoje até o fim do expediente, a partir das 17h”, declarou o ministro. O plano inicial do ministério era dar início ao processo de imunização na quarta-feira (20). Mas, com o início da vacinação na capital paulista ainda no domingo (19), após a aprovação da Anvisa, os governos estaduais querem começar a aplicação da coronavac o quanto antes.

“O cronograma inicial era a logística hoje, amanhã a logística dos estados para os municípios e na quarta-feira o início. Os governadores solicitaram que assim que chegassem nos estados [vacina] eles tivessem a liberdade de iniciar a vacinação. Nós pactuamos isso com os governadores presentes”, afirmou Pazuello.

No entanto, o governador paulista, João Doria (PSDB), não participou da cerimônia de entrega. Ele foi representado pelo vice, Rodrigo Garcia (DEM), que afirmou que São Paulo deve seguir o cronograma de vacinação definido pelo ministério da Saúde. A prioridade, segundo ele, é vacinar os grupos prioritários. Dada a escassez de imunizantes no país, não é possível ampliar o público alvo.

“Teremos muita dificuldade de novas doses. Existe uma programação definida pelo Butantan e pela AstraZeneca. Agora é aguardar outras alternativas de vacina para que a gente alcance um número maior da população brasileira”, disse o vice governador.

Esperança

Por outro lado, os governadores acompanharam, no aeroporto de Guarulhos, o embarque das primeiras doses rumo aos estados, com esperança. “É muito emocionante. Viva o SUS. Não ao negacionismo. Viva a ciência, viva a vida”, saudou a governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT). “Se Deus quiser, as vacinas chegam ainda hoje ao estado”, destacou.

O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), também acompanhou a distribuição. “Assim que chegar ao nosso estado iremos começar imediatamente a vacinação”, anunciou.

Produção

Em parceria com o laboratório chinês Sinovac, o Instituto Butantan pretende atingir em breve a marca de 1 milhão de doses da coronavac produzidas por dia.

Já a presidenta da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Nísia Trindade, afirmou que a instituição tem a perspectiva de produzir 700 mil doses por dia da vacina contra a Covid-19 da AstraZeneca feita em parceria com a Universidade de Oxford. Mas ainda não há previsão para a chegada do chamado Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) da vacina. A partir da sua chegada, a Fiocruz espera entregar 100,4 milhões de doses da vacina de ao ministério até julho de 2021.

O ministério da Saúde aguarda, ainda, o envio de 2 milhões de doses da vacina da AstraZeneca, que deveriam ser importadas da Índia. Mas o governo indiano anunciou que o envio deve ocorrer dentro de duas semanas, já que o país iniciou seu plano de vacinação neste sábado (16).

Marcado por desencontros de informações, foi esse adiamento que acabou resultando na mudança do cronograma do ministério. Com isso, após o registro da Anvisa para uso emergencial de ambas as vacinas neste domingo (17), o governo de São Paulo iniciou imediatamente a aplicação da coronavac nos profissionais de saúde.

A distribuição

O Instituto Butantan está enviando 4.636.936 doses aos estados. Além disso, outras 1.357.940 serão distribuídas no próprio estado de São Paulo, totalizando 6 milhões de doses nessa primeira etapa. Confira a quantidade de doses da coronavac que cada estado vai receber:

Região Norte

  • Rondônia – 33.040
  • Acre – 13.840
  • Amazonas – 69.880
  • Roraima – 10.360
  • Pará – 124.560
  • Amapá – 15.000
  • Tocantins – 29.840

Região Nordeste

  • Maranhão – 123.040
  • Piauí – 61.160
  • Ceará – 186.720
  • Rio Grande do Norte – 82.440
  • Paraíba – 92.960
  • Pernambuco – 215.280
  • Alagoas – 71.080
  • Sergipe – 48.360
  • Bahia – 319.520

Região Sudeste

  • Minas Gerais – 561.120
  • Espírito Santo – 95.440
  • Rio de Janeiro – 487.520
  • São Paulo – 1.349.200

Região Sul

  • Paraná – 242.880
  • Santa Catarina – 126.560
  • Rio Grande do Sul – 311.680

Região Centro-Oeste

  • Mato Grosso do Sul – 61.760
  • Mato Grosso – 65.760
  • Goiás – 182.400
  • Distrito Federal – 105.960