Queda livre

Justiça acata pedido de Russomanno para censurar pesquisa Datafolha

Em decisão liminar, juiz eleitoral censurou publicação sobre a corrida eleitoral na cidade São Paulo, alegando irregularidades no levantamento. Instituto garante que métricas são as mesmas há 35 anos

cr10/divulgação
"É um ataque ao direito do eleitor de se informar, uma ação antidemocrática", declarou diretor do Datafolha

São Paulo – A pedido da coligação do candidato Celso Russomanno (Republicanos), a Justiça Eleitoral da cidade de São Paulo suspendeu a publicação de pesquisa Datafolha que seria divulgada nesta quarta-feira (11). Realizada pelo jornal Folha de S. Paulo, em parceria com a TV Globo, entre os dias 9 e 10 de novembro, o levantamento atualizaria o cenário da corrida eleitoral à prefeitura da capital paulista. A decisão tem caráter provisório. O Datafolha já confirmou que irá recorrer da decisão.

Segundo o juiz eleitoral Marco Antonio Martin Vargas, “a pesquisa eleitoral ora impugnada está em desacordo com a legislação e a jurisprudência eleitoral”. Na decisão liminar que censura a divulgação da pesquisa, o magistrado citou como “inconformidades com a lei” a ausência de ponderação dos entrevistados quanto ao nível econômico, irregular fusão dos estratos quanto ao grau de instrução dos entrevistados e “simulação tendenciosa de segundo turno diante da ausência de simulações sem a presença do candidato à reeleição Bruno Covas”. E estabeleceu multa diária de R$ 1 mil caso os veículos publiquem o resultado. 

O diretor de pesquisas do Datafolha, Alessandro Janoni, garantiu, no entanto que o instituto “utiliza as mesmas variáveis” há mais de 35 anos. Para ele, o pedido de Russomanno está diretamente relacionado à sua acelerada queda nas intenções de voto. “Causa espanto e é preocupante um pedido de impugnação da divulgação justamente agora, quando o candidato que solicita a censura apresenta queda nas intenções de voto. É um ataque ao direito do eleitor de se informar, uma ação antidemocrática”, declarou Janoni. 

Derretimento

Pesquisa Datafolha do mês passado já indicava que a candidatura de Celso Russomanno caminhava para o declínio. Entre os dias 8 e 22 de outubro, a rejeição ao candidato do Republicanos cresceu 17 pontos percentuais. Enquanto isso registrou queda de 27% para 20% nas intenções de voto em seu nome, o posicionando em segundo lugar nas pesquisas.

Outro instituto, o Ibope, mostrou ontem (9), que Russomanno foi superado por Guilherme Boulos (Psol), com quem está tecnicamente empatado, com 12% e 13% das intenções de voto, respectivamente.

Especialistas já haviam advertido que a queda de Russomanno já era esperada, assim como dos demais candidatos a prefeito apoiados pelo presidente Jair Bolsonaro. Pelo menos 64% dos paulistanos afirmam que não votariam em alguém apoiado por Bolsonaro. Se a projeção das pesquisas se confirmarem, Russomanno pode ficar de fora pela terceira vez seguida do segundo turno para a eleição à prefeitura de São Paulo.


Leia também


Últimas notícias