União à esquerda

‘Que o que gente construiu em São Paulo sirva de inspiração para o Brasil’, diz Boulos

Boulos cumprimenta Covas, mas lembra que o prefeito não ganhou um cheque em branco. “Muita gente voltou a ter esperança, depois de tantas perdas”

Ricardo Stuckert
No pronunciamento após a eleição, Boulos desejou sorte ao prefeito, mas lembrou que grande parte da sociedade expressou desejo de mudanças

São Paulo – Sereno, Guilherme Boulos fez um rápido pronunciamento por volta das 20h, após a apuração, em que ele recebeu mais de 2,1 milhões de votos (40,62% dos válidos). Cumprimentou seu adversário – mas lembrou que grande parte da população quer mudanças e que o prefeito não ganhou “um cheque em branco”. E enfatizou a necessidade de união no campo da esquerda. “Vou trabalhar a partir de agora pra o que a gente conseguiu construir e unir aqui em São Paulo sirva de inspiração para o Brasil, para derrotar o atraso e o autoritarismo”, declarou.

Segundo ele, mais de 40% do eleitorado paulistano mostrou que espera outro tipo de governo, mais preocupado com justiça social. “Quero aqui cumprimentar o Bruno Covas e desejar que ele tenha sorte nos próximos quatro anos. Que acima de tudo governe a cidade sabendo que uma imensa parcela da sociedade quer mudança. Quer que a periferia seja tirada do abandono, tenha vez e voz”, afirmou o candidato do Psol. “O mandato que ele vai assumir a partir de janeiro não é um cheque em branco. Vamos fazer nosso papel, de cobrar e fiscalizar.” Assista:

Apoios além de São Paulo

Entre os muitos agradecimentos, Boulos citou inicialmente sua vice, a deputada Luiza Erundina. “dona de uma energia, uma garra que eu vi poucas vezes na vida”. Expressou “gratidão e amor” à mulher, Natalia, e às filhas, Sofia e Laura. E agradeceu sua equipe, que se engajou numa luta de “Davi contra Golias”.

Além disso, o psolista registrou agradecimentos a Jilmar Tato (PT), Orlando Silva (PCdoB) e Marina Helou (Rede), candidatos no primeiro turno que o apoiaram no segundo. E ainda ressaltou uma rede de apoios “que vão muito além da cidade de São Paulo”. Boulos citou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), os presidenciáveis Ciro Gomes (PDT) e Marina Silva (Rede) e o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB).

Eduardo Moreira: ‘Boulos reúne características raras de serem vistas juntas’

“Esperançar”

Para ele, o mais importante desta eleição foi que “muita gente voltou a ter esperança, depois de tantas perdas”. “Esperançar, como diria o mestre Paulo Freire”, emendou, apontando o “começo da vitória da solidariedade sobre a indiferença”.

O candidato destacou ainda a importância da participação politica da juventude. “Quando os jovens se mobilizam, é só uma questão de tempo. O que aprendi em 20 anos de movimento social é que quando a gente tem lado e sabe o que quer, a vitória vem.” Ele reafirmou a expectativa por uma cidade (e sociedade) “onde ninguém more na rua, onde ninguém vire o lixo pra comer, ninguém seja morto pela cor da sua pele, onde as mulheres tenham os mesmos direitos que os homens e onde todas as formas de amor sejam respeitadas”.