Farsante

Moro é contratado por escritório americano que representa empreiteiras que foram alvos da Lava Jato

Nas redes sociais, Odebrecht foi parar entre os assuntos mais comentados, após Moro assumir cargo em escritório que presta serviço para a empreiteira

Lula Marques
Políticos criticaram o novo emprego de Moro, apontando contradições entre a nova função e sua atuação na Lava Jato

São Paulo – O ex-ministro Sergio Moro está de emprego novo. Ele anunciou neste domingo (29) que será o novo diretor-geral da Alvarez&Marsal, escritório estadunidense especializado em recuperação judicial e gestão de ativos. Dentre seus clientes, estão as empreiteiras Odebrecht e a OAS, que entraram em recuperação após virarem alvos principais da operação Lava Jato.

Já no anúncio pelas redes sociais, Moro se “escusou” previamente das contradições explícitas. “Não é advocacia, nem atuarei em casos de potencial conflito de interesses”, afirmou o ex-juiz pelo Twitter.

A informação foi vazada em um perfil do LinkedIn ligado à empresa, o que forçou o comunicado de Moro. Posteriormente, a nomeação foi confirmada pela Alvarez&Marsal.

Em comunicado oficial nesta segunda-feira (30), o escritório não esconde sua intenção de oferecer aos seus clientes e consultores “a expertise de um ex-funcionário do governo brasileiro”. Também dizem que a contratação de Moro deverá servir para “desenvolver soluções para as complexas questões de disputas e investigações”.

Repercussão

Nas redes sociais, seus apoiadores destacaram os supostos “méritos” do ex-juiz. Mas o novo emprego de Moro também foi alvo de críticas. Em função dessa notícia, o termo “Odebrecht” aparecia em quinto lugar entre os mais citados no Twitter durante a manhã desta segunda. Políticos, jornalistas e advogados destacaram as contradições.

Confira os principais comentários