Denúncia

Milton Leite, candidato a vereador em São Paulo, é acusado de compra de votos

Milton Leite (DEM) teria distribuído cestas básicas na Vila Dionísia, zona norte da capital. Ele nega. Para receber as cestas, moradores assinaram papéis com informações do título de eleitor

Reprodução/Facebook
Imagens publicadas pelos próprios moradores mostram filas para receber caixas marcadas com o logotipo da prefeitura de São Paulo

BrasildeFato – O vereador Milton Leite (DEM), candidato à reeleição em São Paulo, distribuiu cestas básicas aos moradores da Vila Dionísia, na zona norte da capital, neste último sábado (14). A denúncia é da também candidata a vereadora Vivi Mendes (PT), que classifica a ação como uma “compra de votos”, já que as pessoas preenchiam formulários que solicitavam dados eleitorais.

A candidata protocolou uma notícia-crime contra o vereador na Justiça Eleitoral, por corrupção eleitoral. “A gente sabe que, para esses vereadores, a ação deles é de pessoas que se consideram donos da cidade. Eles acham que isso é poder. Mas isso não é poder. Isso é ilegalidade, é dinheiro, é crime. Corrupção eleitoral, compra de votos. O que eles estão fazendo é explorar a pobreza, explorar a miséria, ainda mais nesse momento de pandemia, fazendo isso para tentar se manter no poder”, denuncia a candidata.

Imagens publicadas pelos próprios moradores mostram filas para receber caixas marcadas com o logotipo da prefeitura de São Paulo, marcadas como “cesta de alimentos” e “higiene e limpeza solidária”. No local, há bandeiras e santinhos de Milton Leite e os presenteados têm título de eleitor ou cédula de identidade na mão.

Segundo as informações, eles assinam papéis, deixando dados pessoais como nome completo, número do título de eleitor, telefone, endereço e até “recados”. O advogado da candidata a vereadora Vivi Mendes, Marco Antônio, afirma que não resta dúvidas de que se trata de crime eleitoral. “As imagens publicadas não deixam dúvidas de que se trata de corrupção eleitoral. São claros os indícios de compra de voto.”

A Lei 9.504 diz que configura como compra de votos “a doação, o oferecimento, a promessa, ou a entrega, pelo candidato, ao eleitor, com o fim de obter-lhe o voto, de bem ou vantagem pessoal de qualquer natureza, inclusive emprego ou função pública, desde o registro da candidatura até o dia da eleição”. Caso a prática seja comprovada, o infrator pode ser condenado a até quatro anos de prisão.

Ao Brasil de Fato, Milton Leite negou ter dado cestas básicas e disse que “não tem a menor ideia” de quem foi. “Eu não comprei cesta básica, eu não dei cesta básica, eu desconheço o que você tá falando. Essa afirmação eu vou responder na Justiça Eleitoral. Eu não dei, absolutamente, nenhuma cesta básica”, afirmou.

Confira a matéria completa no Brasil de Fato