Ataque virtual

Hackers invadem sistemas do STJ, Ministério da Saúde e Secretaria de Economia do DF

Outras entidades também relatam o ataque hacker. Aparentemente um vírus criptografou arquivos, o que impede acesso aos sistema

creative commons
"Estamos sem acesso à internet, linhas de telefone fixo e e-mails corporativos no Ministério da Saúde", afirma a assessoria do MS

São Paulo – O Superior Tribunal de Justiça, o Ministério da Saúde e a Secretaria de Economia do Governo do Distrito Federal foram alvos de ataques de hackers nesta quinta (5). Aparentemente provocado por um vírus, o ataque massivo contaminou servidores e travou (através de criptografia) o acesso dos funcionários aos arquivos gerais, como e-mails. Há relatos de problemas ainda em sistemas do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), da Universidade de Brasília (UnB) e outras entidades.

“Estamos sem acesso à internet, linhas de telefone fixo e e-mails corporativos no Ministério da Saúde”, afirmou comunicado da assessoria da pasta. No STJ, o ataque levou à suspensão de diversos julgamentos. Entre eles, está um recurso da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no âmbito do processo da Operação Lava Jato envolvendo o triplex do Guarujá.

“Por precaução, os prazos processuais seguem suspensos até a próxima segunda-feira (9). Todas as sessões de julgamento, virtuais e/ou por videoconferência, estão suspensas ou canceladas até restabelecida a segurança do tráfego de dados nos nossos sistemas”, disse o STJ em nota.

O cenário fica especialmente difícil, já que sessões do tribunal estão sendo realizados online em razão da pandemia de covid-19. Tanto o tribunal como o Ministério da Saúde informam que não há previsão de retorno dos sistemas e das atividades.

Ainda em nota, o tribunal informa que a Polícia Federal já foi acionada. Entretanto, o vírus pode ter imposto uma criptografia “impossível” de ser quebrada, o que acarretaria problemas ainda mais graves. “As diligências iniciais da investigação já foram adotadas, inclusive, com a participação de peritos da instituição. Eventuais fatos correlatos poderão ser apurados na mesma investigação, que está em andamento na Superintendência Regional da Polícia Federal no Distrito Federal”.


Leia também


Últimas notícias