Metrópole em disputa

Esquerda desafia tucanos: Covas e Boulos vão para o segundo turno em São Paulo

Herdeiro de Doria, prefeito tentará reeleição, enquanto candidato do Psol deverá reunir forças progressistas

Reprodução/Montagem RBA
Novidade na eleição municipal, Boulos será o adversário de Covas daqui a duas semanas

São Paulo – O prefeito Bruno Covas (PSDB) terá Guilherme Boulos (Psol), como adversário no segundo turno da eleição em São Paulo. Se em 2016 os tucanos conseguiram a vitória na primeira rodada, desta vez terão de enfrentar uma provável aliança de esquerda na disputa pela maior cidade do país, com quase 9 milhões de eleitores. O petista Jilmar Tatto, por exemplo, já manifestou seu apoio a Boulos na corrida pela prefeitura de São Paulo, chamando-o, inclusive, de “meu irmão mais novo”.

Com 99,98% dos votos, Covas tem 1.753.709 (32,85%) e Boulos, 1.080.565 (20,24%). Márcio França, do PSB, está com 13,64% e Celso Russomanno (Republicanos), sempre favorito na largada, aparece em quarto, com 10,50%.

A campanha já começou na noite do domingo. O tucano disse que iria combater o radicalismo. “São Paulo vai eleger prefeito, não quer eleger nenhum anti, nenhum totalitarista ou radical”, discursou, ao lado do governador João Doria.

Em resposta, Boulos afirmou que “radicalismo” é gente revirando lixo na cidade mais rica do Brasil. Ou manter hospitais fechados, ou quase, durante uma pandemia. “As pessoas daqui não são estatísticas, são gente com história e trajetória. Vamos inverter prioridades, tirar a cidade do abandono.”

Aos 40 anos. completados em 7 de abril, o atual prefeito integra uma coligação com PP, MDB, Pode, PSC, PL, Cidadania, DEM, PTV, PV e Pros. Seu vice é o vereador Ricardo Nunes (MDB), uma escolha inesperada e quase de última hora. Filiado ao PSDB desde 1997, Covas foi eleito e reeleito deputado estadual, em 2006 e 2010. No ano seguinte, assumiu a Secretaria do Meio Ambiente do Estado, até 2014, quando foi eleito deputado federal. Em 2016, tornou-se vice-prefeito, substituindo Doria a partir de abril de 2018. O atual governador pouco apareceu na campanha e tem elevada taxa de rejeição na capital.

Povo sem Medo

Boulos, 38 anos completados em 19 de junho, tem como aliados de campanha o PCB e a UP. É formado em Filosofia. Ingressou no Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) em 2002. Sua vice é a deputada Luiza Erundina, 85 anos, prefeita de São Paulo (pelo PT) de 1989 a 2002. Líder da Frente Povo sem Medo, Boulos foi candidato à Presidência da República em 2018.

Entre os demais candidatos, o deputado Arthur do Val – Mamãe Falei (Patriota) tem 9,78% dos votos. Tatto vem a seguir, com 8,65%. Bem depois, Joice Hasselmann (PSL, 1,84%) e Andrea Matarazzo (PSD, 1,55%).

As abstenções na escolha para a prefeitura de São Paulo somam 29,29% (mais de 2,6 milhões de eleitores). Votos em branco são 5,87% e nulos, 10,11%.

Eleições 2020 na RBA