fora crivella

Eduardo Paes (DEM) é eleito prefeito do Rio de Janeiro

Paes confirmou o favoritismo das pesquisas e derrotou o candidato do bolsonarismo, o bispo Marcelo Crivella, na capital dos cariocas

divulgação
Na ausência da esquerda no segundo turno, o prefeito eleito concentrou a força política plural do anti bolsonarismo

São Paulo – Confirmando o amplo favoritismo demonstrado em todas as pesquisas de intenções de voto do segundo turno da eleição no Rio de Janeiro, Eduardo Paes (DEM) foi eleito hoje (29). Com 87,96% das urnas apuradas, o candidato teve 64,41% dos votos válidos contra 35,59% de seu opositor, Marcelo Crivella (Republicanos). Votos brancos foram 4,98% e nulos, 13,74%. As abstenções somaram 35,66% do eleitorado.

Mesmo representando um partido de direita, Paes contou com o apoio de diferentes correntes políticas. Na prática, seu grande êxito tem relação com a rejeição da política do presidente Jair Bolsonaro, representado na capital fluminense por Crivella.

Crivella trabalhou sua campanha em cima da ideologia extremista de Bolsonaro. Durante toda sua campanha de rádio e TV, e também em grande parte de seus discursos e declarações, o candidato do Republicanos se agarrou à figura do presidente. A estratégia se mostrou derrotada no primeiro turno, e confirmou o destino nesta segunda etapa.

Leia também: Com qualquer resultado, 2º turno indica ‘derrocada’ de Bolsonaro e ‘retomada’ da esquerda, dizem analistas

Voto útil

Na ausência de um opositor da esquerda no segundo turno, o prefeito agora eleito concentrou a força política plural do antibolsonarismo. O candidato do Democratas herdou votos de diferentes espectros políticos, por representar uma oposição ao atual prefeito, representante de Jair Bolsonaro no pleito, e bispo ligado à Igreja Universal, Marcelo Crivella.

Além disso, possui relativa aprovação dos cariocas por sua gestão anterior. Ele já ocupou a chefia do Executivo municipal na cidade. Entre 2009 e 2016 foi prefeito e comandou a capital durante importantes eventos, como as Olimpíadas de 2016 e a Copa do Mundo de 2014.


Leia também


Últimas notícias