Eleições 2020

Debate em Diadema é cancelado após liminar e por decisão dos candidatos

Justiça determinou mudança do formato do debate, que seria realizado em dois blocos. Medidas sanitárias e técnicas proibiram realização

Reprodução/UOL
Nove candidatos debateriam nesta quinta-feira; divisão atende medidas sanitárias de combate à covid-19 e foi feita com base na pesquisa realizada pelo instituto ABC Dados

São Paulo – A Justiça Eleitoral de Diadema, no ABC paulista, concedeu liminar ao candidato à prefeitura pelo PSL, Jhonny Rich, questionando o formato do debate que seria realizado nesta quinta-feira (5) em parceria entre a TVT e o portal UOL. “Todas as regras para o debate foram estabelecidas em conjunto com as candidaturas e todos concordaram”, informou o advogado Claudio Cardoso, do comitê arbitral do debate. “No final da tarde fomos surpreendidos com essa liminar da Justiça Eleitoral de Diadema à qual prontamente acatamos.”

De acordo com a liminar, o formato do debate, em dois blocos, deveria ser alterado. A primeira decisão da Justiça determinava a realização do debate em um único bloco. Caso não fosse possível, um novo sorteio deveria ser realizado no local com a presença dos candidatos.

Outros debates

O formato de dois blocos, no entanto, foi definido por questão de segurança diante das medidas sanitárias necessárias no combate à covid-19. Em um único bloco, seria impossível manter o distanciamento de 1,5 metro recomendado.

Além das regras de distanciamento, os candidatos devem respeitar o uso obrigatório de máscara e a medição de temperatura na entrada. Já foram realizados, na parceria TVT e UOL, debates em GuarulhosMauá e Santo André, na região metropolitana de São Paulo.

Nesta sexta-feira (6), a partir das 20h40, TVT e UOL promovem o debate entre os candidatos à prefeitura de São Bernardo do Campo. Concorrem Claudio Donizete (PSTU), Dr. Leandro Altrão (PSB), Lourdes da Chapa Coletiva (Psol), o ex-prefeito Luiz Marinho (PT) e o atual prefeito, Orlando Morando (PSDB), além de Rafael Demarchi (PSL).

Na próxima terça-feira (10), será a vez do debate dos candidatos à prefeitura de Osasco.

Última hora

Apesar disso, as candidaturas fizeram a proposta de fazer o debate em um único bloco, com os nove candidatos ao mesmo tempo. A equipe técnica informou não haver estrutura para fazer uma mudança como essa, tanto em relação aos equipamentos necessários, como em função do distanciamento necessário. “Por isso não foi possível realizar o debate. Mudar de uma hora para outra é difícil, tecnicamente falando”, esclareceu Claudio Cardoso.

O jornalista Glauco Faria, mediador do debate, lembrou que essa dificuldade em relação à questão sanitária é o argumento usado por outros veículos de comunicação, para a não realização de debates este ano. “Fizemos toda uma estrutura para atender a essas medidas sanitárias, assim como a estrutura técnica e, infelizmente, por determinação judicial e por decisão dos candidatos não pudemos realizar esse encontro.”

Divisão segura

Por conta da pandemia e pelo número de candidatos, o debate seria dividido em dois blocos. Participariam da primeira parte, às 20h40, os candidatos José de Filippi Jr. (PT), Ricardo Yoshio (PSDB), Ronaldo Lacerda (PDT) e Taka Yamauchi (PSD). Já na segunda parte, às 22h, estariam Marcos Michels (PSB), Rafaela Boani (PSOL), Gesiel Duarte (Republicanos), Jhonny Rich (PSL) e Arquiteto David (PSC).

A divisão no debate de Diadema foi feita com base em pesquisa realizada pelo instituto ABC Dados, divulgada em 19 de outubro. O candidato Pretinho (DEM) foi convidado, mas optou por não comparecer. Já Denise Ventrici (PRTB), Dr. Airton (PMB) e Professor Ivanci (PSTU) não cumprem exigências do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), de representatividade na Câmara, para participar do debate.