Eleições 2020

Assista: Candidatos a prefeito de Osasco realizam debate com transmissão pela TVT

Confronto entre propostas dos candidatos em Osasco foi exibido na noite desta terça-feira, às 20h40, em evento organizado em parceria com o portal Uol

TVT/Reprodução

São Paulo – Os candidatos à prefeitura de Osasco, na Grande São Paulo, participaram de debate na noite desta terça-feira (10) para apresentar suas propostas. A transmissão, a partir das 20h40, foi feita pela TVT e Rádio Brasil Atual, em parceria com o portal UOL. O evento foi uma oportunidade para os eleitores da cidade conhecerem o perfil e o que pensam os candidatos sobre os problemas da cidade.

O debate teve a participação de quatro candidatos: Dr. Lindoso (Republicanos), Emídio de Souza (PT), Marco Souza Dateninha (Solidariedade) e Simony dos Anjos (Psol). O atual prefeito, Rogério Lins (Podemos), recusou o convite. Já o partido de Reinaldo Mota, PRTB, não tem a representatividade na Câmara necessária para cumprir a regra determinada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que impede o candidato de participar de debates na televisão.

UOL/REPRODUÇÃO
O debate contará com Marco Souza Dateninha (Solidariedade), Dr. Lindoso (Republicanos), Emídio de Souza (PT) e Simony dos Anjos (Psol)

Para garantir os protocolos de segurança sanitária, não houve plateia presente. Também foram respeitadas as regras de distanciamento, com uso obrigatório de máscara, a ser retirada somente no momento em que os candidatos falarem, além de medição de temperatura na entrada.

Problemas de Osasco

Com 697 mil habitantes, Osasco é a sexta cidade mais populosa e o nono maior município do Brasil, segundo o IBGE. Diante disso, existe grande desigualdade entre os bairros da cidade e, de acordo com o morador Gabriel Carvalho, é nítida a separação entre as regiões mais e menos favorecidas.

Gabriel explica que isso influencia na questão da segurança, mas nem isso é suficiente para conter os roubos. “É nítida a separação entre as regiões pobres e mais abastadas. Um dos exemplos é a parte central, que tem a Universidade Federal de Osasco, onde você não tem tantos problemas. A questão de saneamento básico é melhor, tem mais segurança também, mesmo que ocorra ainda uns roubos”, afirmou à repórter Larissa Bohrer, da Rádio Brasil Atual.

Felipe Cruz, morador na City Bussocaba, bairro de classe média da cidade, tem a mesma visão sobre a segurança. Ele comenta que a região é muito visada e a sensação de insegurança é constante. “Eu mudei recentemente para cá e vejo como ele é privilegiado em relação aos demais, com ruas iluminadas e até segurança privada. Entretanto, é muito perigoso e a sensação de insegurança é de risco o tempo todo.”

A dona de casa Valdenia Vilar, moradora de Osasco há mais de 50 anos, acredita que a atual gestão municipal fez um bom trabalho na área de segurança, mas a questão ainda é o principal problema da cidade. “O atual prefeito fez bastante, mas ainda falta. O índice de criminalidade ainda é alto. É preciso cuidar também dos moradores de rua, com um centro de atendimento para essas pessoas.”

Na avaliação dos osasquenses, outro problema do município é a saúde. Felipe critica a falta de investimento e afirma que os atendimentos são demorados e há ausência de médicos especializados. “A população está crescendo e os serviços não estão acompanhando. A prefeitura tem praticamente terceirizado os equipamentos de saúde, enquanto falta mais atenção para o setor”, lamentou.


Leia também


Últimas notícias