União

Inspirados por Suplicy, candidatos lançam Bancada da Renda Básica

Candidatos de diversos partidos se comprometem a implementar políticas municipais de garantia de renda para a população. Em especial, durante a pandemia

Reprodução/RBRB
Suplicy deviria ganhar o Nobel da Paz pela defesa histórica da Renda Básica de Cidadania, disse Tatto

São Paulo – Candidatos a prefeituras e câmaras de vereadores por todo o país lançaram nesta terça-feira (20) a Bancada da Renda Básica. Eles se comprometeram a instituir, em âmbito municipal, políticas públicas que garantam segurança de renda para a população. A iniciativa conta com o apoio de mais de 70 candidatos que disputam as eleições municipais neste ano.

Eles destacaram a urgência da implementação dessas medidas, em função da pandemia do novo coronavírus. Ainda mais após o governo federal cortar pela metade o auxílio emergencial.

Defensor histórico da Renda Básica de Cidadania, o vereador Eduardo Suplicy (PT-SP) participou da reunião virtual. Criticou o governo federal pela indefinição em relação ao programa Renda Cidadã – também chamado de Renda Brasil, que pretende ampliar o Bolsa Família. E destacou, ainda, a criação da Renda Básica Emergencial, em tramitação na Câmara Municipal de São Paulo.

Por outro lado, para defender “a necessidade de darmos um mínimo a cada um”, Suplicy citou o médico e ex-deputado Josué de Castro (1908-1973), que escreveu o clássico Geografia da Fome no Brasil. “Ele deve estar no céu muito feliz em saber que tantos candidatos estão reunidos para levar adiante esta tão linda reflexão”, dise.

Pelo Brasil

A candidata à prefeitura de Porto Alegre Manuela D’Ávila (PCdoB) ressaltou que a renda básica é a única fonte de recurso em uma época em que o modelo de trabalho tradicional não existe mais e vai se modificar muito, dificultando a inserção das pessoas. “Diante desse cenário, ter políticas universais é fundamental”, ressaltou.

Candidato do PT em São Paulo, Jilmar Tatto, citando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, disse que Suplicy deveria “receber o Prêmio Nobel da Paz” pelo seu trabalho de décadas em em defesa dessa proposta. “Você é um visionário, que há muito tempo detectou que a luta por uma alimentação adequada, por dignidade, passa pela implementação da Renda Básica de Cidadania.”

Adversários na disputa pela prefeitura de Recife, os deputados João Campos (PSB-PE) e Marília Arraes (PT-PE) participaram da reunião e defenderam a renda básica. Outro que manifestou seu apoio foi o deputado Edmilson Rodrigues (Psol-PA), que lidera a disputa em Belém. Mônica Benício (Psol-RJ), viúva da vereadora Marielle Franco, que disputa uma vaga na Câmara carioca, também participou, dentre diversos outros candidatos.

Manifesto

O manifesto da bancada destaca que a pandemia demonstrou a vulnerabilidade de renda da população brasileira. “O Auxílio Emergencial que garante sobrevivência e cuidado foi uma vitória da sociedade civil, da campanha ‘Renda Básica que Queremos’ e da negociação parlamentar no Congresso Nacional. Este movimento poderá encontrar na Bancada da Renda Básica uma representação nestas eleições municipais de todo o país”, diz o texto.

O presidente da Rede Brasileira de Renda Básica (RBRB), Leandro Ferreira, destacou que a bancada é uma articulação nacional. E pode ajudar a escolher candidatos engajados na defesa da garantia de renda e de uma vida mais digna para a população.

Além disso, bancada tem caráter plural e qualquer candidato pode aderir. A diretora de relações institucional da RBRB, Paola Carvalho, destacou que um dos objetivos da articulação é somar esforços com os deputados pela manutenção do valor de R$ 600 até o final do ano. Além da criação de uma renda permanente, a partir do ano que vem.

Confira o lançamento da Bancada


Leia também


Últimas notícias