SEM NOVIDADE

‘Mamãe Falei’ mente à Jovem Pan e admite falsa acusação contra desafeto, diz site

Candidato à prefeitura de São Paulo atribuiu conduta criminosa a ex-integrante do MBL, segundo gravação obtida pelo The Intercept

REPRODUÇÃO
Em uma gravação obtida pelo Intercept, Mamãe Falei confessou que havia mentido sobre Ferreira ao dono da Jovem Pan, acusando o desafeto de crime

São Paulo – O deputado estadual e candidato à prefeitura de São Paulo Arthur do Val, conhecido como Mamãe Falei, promoveu falsas acusações para tirar o comediante bolsonarista Felipe Ferreira da rádio Jovem Pan. As revelações são do site The Intercept Brasil.

Desafeto político de Mamãe Falei, Ferreira estreou na rádio em janeiro de 2019. Ele fez parte do MBL, mas deixou o movimento após brigas internas. Para derrubar o ex-colega, Arthur do Val fez contato com a diretora do programa Pânico, Paula Krausche, e com o presidente da rádio, Antônio Augusto Amaral de Carvalho Filho, o Tutinha.

Em uma gravação obtida pelo The Intercept de pouco mais de um minuto, Mamãe Falei relatou a conversa aos colegas e confessou que havia mentido sobre Ferreira ao dono da Jovem Pan, acusando o desafeto de ter praticado condutas criminosas.

“Aí falei pra ele: ‘Cara, esses caras são queimados, esses caras…’ Eu inventei aqui, eu falei: ‘Meu, eles já tentaram invadir a sede do MBL armados, eles já botaram fogo num carro dum coordenador do MBL. Já botaram fogo não, já vandalizaram o carro inteiro, quebraram os vidros, tal”, diz o áudio enviado pelo pré-candidato num grupo do MBL.

O relato do deputado estadual atribuiu a Ferreira um ataque que foi realizado por cinco homens à sede do MBL na Vila Mariana, em São Paulo, em dezembro de 2016. Câmeras registraram pessoas chutando a porta do prédio e quebrando os vidros de uma Kombi utilizada para a campanha eleitoral de Holiday. O veículo, aliás, é apontado pelo ex-advogado de Holiday como uma das doações à campanha não-declaradas pelo candidato. Até hoje, não há qualquer evidência da participação de Ferreira no crime.

O áudio de Arthur do Val, com a ideia de interferir na programação da Jovem Pan, também mostra ele pedindo ao deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP) e à deputada federal, também candidata à prefeitura paulistana, Joice Hasselmann (PSL-SP), que pressionassem o apresentador Emílio Surita.

“Se ele (Ferreira) ficar (no programa), a gente tem que mandar o recado. Tem que ligar e falar: ‘Pô, Tutinha, infelizmente, aí, cara, você escolheu, em vez de ficar do nosso lado, tal, acolher um inimigo aí dentro da tua casa, cara. Que pena, velho’.”

Ele relata ainda que Paula Krausche havia acreditado na versão, informando de que o presidente da rádio havia mandado deixar Ferreira “de molho” por uns dias. Desde então, o comediante nunca mais voltou ao Pânico.

Leia a reportagem completa no The Intercept.