Lançamento

Livro desvenda a proximidade ‘escancarada’ do bolsonarismo com o fascismo. Assista

Em “Dentro da Noite Feroz:: do fascimo no Brasil”, Luiz Eduardo Soares traduz Bolsonaro, lavajatismo, Marielle Franco, milícias e fundamentalismo religioso

Artur Renzo/Boitempo

São Paulo – Em ensaio inédito, o antropólogo Luiz Eduardo Soares apresenta uma aproximação entre o bolsonarismo (entendido como o conjunto de discursos e práticas de Bolsonaro e de seus apoiadores) e o fascismo. Em Dentro da Noite Feroz: do fascismo no Brasil (Boitempo), Soares aborda características do que seria um regime fascista e de que forma ele se aplica à realidade brasileira. A obra está sendo lançada nesta quarta-feira (23). O debate reúne, além do autor, Beatriz Resende, Flora Süssekind e Tainá de Paula – e pode ser acompanho no vídeo a seguir. A mediação é da jornalistas Cláudia Motta, da RBA.

O livro foi escrito às vésperas de ser incluído em dossiê produzido pelo Ministério da Justiça contra funcionários públicos, policiais e formadores de opinião antifascistas. Um dos integrantes desta lista, Soares desdobra os acontecimentos relativos a Bolsonaro desde a campanha de 2018. Passa ainda por uma análise do lavajatismo no Brasil e pelo o assassinato de Marielle Franco. E investiga a intrínseca relação de Jair Bolsonaro e sua família com as milícias do Rio de Janeiro, a atuação de religiosos fundamentalistas e uma suposta volta do Brasil à ordem e aos chamados valores familiares tradicionais.