Eleições municipais

Ex-presidentes do PT rechaçam apoio a bolsonarista em Belford Roxo, no Rio

Dirigentes pedem a diretório nacional da legenda que barre aliança para eleição em Berlford Roxo, no Rio, com candidato apoiador de Bolsonaro

prefeito belford roxo
“Nenhuma aliança pode ser estabelecida com o neofascismo, em qualquer espaço do território nacional”, diz nota que rechaça apoio a Wagner Carneiro

São Paulo – Em carta à presidenta do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), ex-presidentes do partido pedem ao diretório nacional da legenda que retifique a autorização de apoio à reeleição do atual prefeito de Belford Roxo (RJ). Filiado ao MDB, o prefeito Wagner Carneiro é classificado, na nota divulgada pelos dirigentes petistas, como “notório por sua cumplicidade com o bolsonarismo”. Assinam o documento Olívio Dutra, José Dirceu, José Genoino, Tarso Genro, Ricardo Berzoini e Rui Falcão. “Nenhuma aliança pode ser estabelecida com o neofascismo, com os partidos e candidatos que o representam em qualquer espaço do território nacional”, diz o texto em que repelem apoio da legenda ao prefeito bolsonarista de Belford Roxo.

Nas eleições municipais, Bolsonaro ‘mais repele votos do que atrai’

Na carta, eles afirmam ainda que “o PT deve ser exemplo de coerência e firmeza, por todo o país, refutando qualquer concessão na batalha que trava nosso povo contra o autoritarismo”.

Ação e reação

A decisão de apoio ao prefeito bolsonarista de Belford Roxo foi tomada pelo diretório nacional do PT na última sexta-feira (7). Foram 29 votos a favor, 25 contra e 11 abstenções pela aliança com Waguinho (MDB). A deputada federal Daniela do Waguinho (MDB-RJ), mulher do prefeito, também é apoiadora do presidente Jair Bolsonaro.

“Waguinho foi um dos únicos prefeitos da Baixada Fluminense a pedir votos para Bolsonaro na eleição de 2018”, informa reportagem do Correio Braziliense. O jornal destaca, ainda, a preocupação de que a decisão de apoio a um bolsonarista contamine a campanha da deputada Benedita da Silva prefeitura do Rio.

A aliança foi criticada por lideranças e militantes do partido. Assim como a carta dos ex-presidentes foi recebida com comemorações sobre a unidade do partido.

O incentivador dessa união teria sido o ex-presidente do PT do Rio Washington Quaquá, um dos vice-presidentes nacionais da partido. Ele já havia sido criticado por incentivar candidatura a vereador no Rio, pelo PT, de um sargento da PM, Alex Beraldo. Beraldo foi citado na CPI das Milícias da Assembleia Legislativa.