Hora do voto

Com maioria feminina e 20 milhões de jovens, país tem quase 148 milhões de eleitores

São Paulo concentra perto de 23% do total. Primeiro turno está marcado para 15 de novembro

Reprodução
Número de eleitores cresceu 2,66% em relação a 2016, segundo o TSE

São Paulo – O Brasil tem quase 148 milhões de pessoas aptas a participar das eleições municipais de 2020. São exatos 147.918.483 eleitores, segundo atualização divulgada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Com alterações de calendário devido à pandemia, o primeiro turno está marcado para 15 de novembro. As eleições para prefeito e vereador ocorrem em 5.569 municípios. Ficam de fora apenas o Distrito Federal e Fernando de Noronha (PE).

Esse total representa crescimento de 2,66% em relação às eleições municipais de 2016. Em números absolutos, são 3,8 milhões de eleitores a mais em quatro anos. Proporcionalmente, a unidade da federação com maior aumento foi o Amazonas(7,88%), para 2.503.269. Um estado teve redução: com queda de 0,17%, Tocantins tem agora 1.035.289.

Com 33.565.294 aptos a votar, São Paulo concentra 22,69% do total do país. O eleitorado paulista cresceu perto da média nacional (2,69%). A capital tem 8.986.687 eleitores. Na outra ponta, Araguainha (MT) é o menor colégio, com 1.001 eleitores. Confira aqui o número por município.

Mulheres e jovens

As mulheres são maioria entre o eleitorado: 52,49%, ou mais de 77,6 milhões. Do total de eleitores, quase 133,4 milhões têm voto obrigatório e 14,5 milhões, facultativo. No primeiro grupo, a maior concentração está na faixa de 35 a 59 anos (67 milhões). Já os jovens de 18 a 24 anos representam pouco mais de 19 milhões.

Com os eleitores de 16 e 17 anos (1.030.563), cujo voto é facultativo, os jovens superam os 20 milhões. Segundo o TSE, há perto de 66 mil idosos com mais de 100 anos aptos a votar.

Um quarto do eleitorado (25,47%) tem ensino médio completo. E 24,18% informaram ter o fundamental incompleto. Aqueles com ensino superior representam 10,68%, abaixo dos que têm ensino médio incompleto (15,48%).

Sem biometria

O número de eleitores que declararam necessitar de algum tipo de atendimento especial subiu para 1.158.234. O crescimento foi de 93,58% em relação às eleições municipais de 2016.

“Diante das medidas sanitárias adotadas a partir da pandemia causada pelo coronavírus (Covid-19), a Justiça Eleitoral decidiu excluir o uso da biometria como meio de identificação nas eleições de 2020”, informou ainda o TSE. Quase 80% dos eleitores (79,5%) já fizeram a biometria.

O Brasil tem 33 partidos registrados. O número de zonas eleitorais chega a 2.645, com 473.527 urnas em condições de uso.