jogo político

‘Fora dos holofotes, Bolsonaro está interessado na disputa à sucessão de Maia’, diz cientista político

Presidente não aparenta, mas deve mover suas peças, nos bastidores, para influenciar as eleições à sucessão de Maia na presidência da Câmara, afirma o cientista político Paulo Níccoli Ramirez

Marcelo Camargo/EBC
Bolsonaro trabalhava de forma discreta para fortalecer o líder do PP, mas recuou na posição, após o DEM e MDB saírem do bloco que formava o 'centrão'

São Paulo – O presidente Jair Bolsonaro não aparenta, mas está interessado e deve mover suas peças, nos bastidores, para influenciar as eleições à sucessão de Maia na presidência da Câmara dos Deputados. A análise é do cientista político Paulo Níccoli Ramirez, professor da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo.

O jornal Folha de S.Paulo mostra que Bolsonaro trabalhava de forma discreta para fortalecer o líder do PP, o deputado Arthur Lira (AL), para consolidar uma base aliada. Entretanto, recuou na posição, após o DEM e MDB saírem do bloco que formava o “centrão”.

O cientista político afirma que o presidente da República está interessado em colocar um nome de confiança à sucessão de Maia. Bolsonaro precisa barrar os processos de impeachment protocolados na Casa.

“A intenção de Bolsonaro de participar dessa disputa, fora dos holofotes, é para não ter mais críticas à sua imagem e ter suas ações aceitas no Congresso. Essa briga de bastidores, com a saída do DEM, é para conseguir criar um contraponto ao Bolsonaro e negociar mais cargos. Tudo isso é para ter mais verbas e a política do toma lá da cá”, aponta Níccoli, em entrevista a Glauco Faria, no Jornal Brasil Atual.

Dubiedade de Maia

O cientista político lembra que, apesar do atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia, se colocar independente do governo federal, age numa via de mão dupla com o Planalto.

“O Rodrigo Maia teve uma posição dúbia com o governo Bolsonaro. As pautas econômicas são bem vistas pelos parlamentares, como os cortes de direitos trabalhistas e reformas tributárias. Entretanto, as pautas políticas não foram bem-vindas no Congresso”, explica o professor.

Na última segunda-feira (3), em entrevista ao programa “Roda Viva”, da TV Cultura, Maia disse que há motivos para impeachment do presidente Bolsonaro. Porém, o especialista político acredita que é um discurso falso.

“O discurso de Maia é transmitir ao mercado a ideia de respeito às instituições para dar estabilidade política, continuando a promover essas reformas econômicas e desmontes. Essa semana teve a notícia de que Bolsonaro tentou promover um golpe militar institucional contra o STF. Então, tenho a impressão de que a lenha está queimando atrás das câmeras”, finalizou, ao citar a reportagem da Revista Piauí.

Confira a entrevista: